Esposende: CHEGA acusa Benjamim Pereira de atropelar o 25 de abril e fala mesmo em "Coreia do Norte"

AvatarFilipe Oitavem, 3 de maio, 2022

psd bp 23

O deputado municipal de Esposende do CHEGA veio a público, através de nota de imprensa enviada a esta redação, lamentar e classificar de "vergonhoso" as incidências da última Assembleia Municipal (AM) onde, e como noticiou o E24, foram realizadas diversas ações que culminaram com o presidente da AM a não deixar votar contra um dos pontos.

Marcelino Cunha frisa mesmo que atualmente em Esposende apenas existe a voz do presidente da Câmara. 

"Benjamim Pereira subiu a palco lembrar tudo e todos, que ele é o suprassumo da política autárquica. Exemplo disso, foi quando em um dos pontos de trabalho, ponto este enviado à Assembleia Municipal pela Assembleia da UF de Esposende, Marinhas e Gandra depois aprovado por unanimidade na questão do processo de desagregação da UF. Ora o PSD decide que esta proposta devia ser devolvida à Assembleia de Freguesia para ser retificada. O PSD passa por cima da legitimidade e profissionalismo dos membros da Assembleia da UF de Esposende, Marinhas e Gandra e simplesmente num golpe palaciano, digno das melhores manobras de um qualquer regime norte coreano, coloca a votação uma recomendação", destaca o deputado do CHEGA esposendense.

Marcelino Cunha diz-se espantado com o que se passou, após a discordância do sucedido por parte do CHEGA e PS com os atropelos na AM.

"O presidente da AM decide suspender a sessão por algum tempo e faz uma reunião do “comité central”, presidente da Câmara, presidente da Assembleia e Líder municipal do PSD e decidem que os membros da Assembleia de Freguesia de Esposende, Marinhas e Gandra não eram tidos nem achados, e que a vontade do PSD de Esposende prevalece sobre todas as leis e respeito institucional", acusa.

"Até aqui já todos estamos habituados, o que não estamos, nem nunca estaremos, é quando alguém quer condicionar a nossa liberdade, tentando escolher como o CHEGA deve votar. A liberdade de voto é tanta dentro deste regime autocrata, que o presidente da UF de Esposende, Marinhas e Gandra em reunião da Assembleia de Freguesia, onde o PSD é maioria, vota a favor da proposta, assumindo assim que mesma está bem fundamentada e reconhece claramente o interesse da mesma, e na Assembleia de Municipal vota para que a mesma seja devolvida, pois não reúne as condições que o senhor Benjamim Pereira deseja", frisa Marcelino Cunha.

 Face aos factos o CHEGA abandonou a AM, por "não aceitar que a liberdade seja de quem for, possa ser condicionada", destaca o líder do CHEGA, lembrando que "o 25 abril já lá vai, mas estamos prontos para o 25 de novembro", vaticina.

 

 


Também pode gostar