Benjamim Pereira defende uma nova "associação" para dar continuidade à Polis Litoral Norte

AvatarRedação , 22 de janeiro, 2022

rio neiva

Extinguiu-se com a passagem de ano, mas os autarcas de Caminha, Viana do Castelo e de Esposende defendem a continuidade da cooperação entre municípios que nestes últimos 12 anos transformou a zona costeira entre Caminha e Esposende.

Há mesmo um "antes de depois da Polis Litoral Norte", com esta Sociedade ser responsável pela requalificação de mais de 70 infra-estruturas na zona costeira de Viana do Castelo, Caminha e Esposende. Segundo dos municípios, o território está hoje «muito mais bem adaptado ao avanço do mar e às alterações climáticas». E o futuro? O presidente da Câmara de Esposende, Benjamim Pereira, começa por referir que «os três municípios foram contra o fim da Polis Litoral Norte.

«O processo de encerramento estava previsto. Não queríamos que isso acontecesse. Chegamos a levar à tutela essa questão, pois tentamos fazer ver que era mau o seu encerramento. A Polis do Litoral Norte era um modelo que era muito virtuoso, onde os municípios se sentavam com a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e o ICNF de forma a existir uma comunicação direta e eficaz dos projetos que queríamos para os territórios. Nasceu em 2009 com o desígnio de conservar e requalificar o património da zona costeira dos municípios de Viana do Castelo, Caminha e Esposende e isso correu muito bem», sublinha Benjamim Pereira.

Em 12 anos, a Polis Litoral Norte executou 77 projectos dos 81 previstos em 70 locais distintos dos três concelhos. A sociedade Polis Litoral Norte, constituída no âmbito do programa Polis Cidades, chegou ao fim no dia 31 de Dezembro por determinação do Governo, que extinguiu todas as entidades associadas ao programa.

«Uma vez que houve essa inflexibilidade do Governo, que até podia continuar o projeto como aconteceu em Aveiro, tivemos que aceitar na na esperança que os próximos governantes nacionais possam ter uma solução parecida com esta Polis», refere o autarca de Esposende.

Aliás, Benjamim Pereira revela que recentemente houve uma reunião entre os três autarcas, Miguel Alves de Caminha e Luís Nobre de Viana do Castelo, onde ficou a hipótese de se avançar com uma associação para dar seguimento ao trabalho desenvolvido.

«É uma ideia que me agrada e que partilhamos entre os três municípios. Se a tutela não avançar com uma iniciativa do género da Polis, estamos disponíveis para ajudar a concretizar os projetos que ainda existam para o litoral norte num modelo diferente e até avançar para novas ações», destaca o presidente da Câmara de Esposende.

«O combate à erosão costeira, assim como as intervenções e projetos da barra de Esposende, são exemplos que podem bem encaixar nesse modelo», acrescenta Benjamim Pereira, pois o modelo está montado «e que sempre teve muito empenho e interesse dos municípios de Caminha, Viana e Esposende», disse.


Também pode gostar