▶️ EME enfrenta 3º período "Somewhere Over the Raibow"

AvatarRedação , 15 de abril, 2020

Captura de ecra 2020 04 13 as 16 v2.50.47

A Escola de Música de Esposende (EME), um projeto que integra o ensino artístico especializado, com 22 professores e 420 alunos, está a enfrentar a pandemia Covid-19 em tom de desafio.

Alguns professores quiseram dar exemplo e, aproveitando as novas plataformas de aprendizagem do terceiro período, um passo firme "Somewhere Over the Raibow".

 

Uma autêntica revolução no método e na forma de ensinar em tempos sem as sensações do contacto direto que muito caracterizam o mundo da música mas que a EME tem conseguido fintar.

«O trabalho dos professores tem sido inexcedível. Nunca é demais destacar que este período obriga a um trabalho acrescido dos professores que, para além dos constrangimentos familiares que todos têm, foram obrigados a encontrar soluções complexas para criar novos conteúdos a serem disponibilizados em formatos apelativos para os alunos. Isso foi possível tendo por base um Projeto Educativo sólido e que se pretende que continue, apesar dos constrangimentos», diz o diretor da EME, Carlos Pinto da Costa.

Uma que salta à vista é a plataforma “Microsoft Teams”, que é agora a pauta por onde percorrem as notas da aprendizagem que que cria pontos entre os alunos e professores. A Carlos Pinto da Costa  explica que foram encontradas várias soluções para a escola nunca parar.

Dessa exploração surgiu a interpretação de “Over the Rainbow", uma balada de Harold Arlen com letra de Yip Harburg preparada para o Feiticeiro de Oz de 1939, mas ficando mundialmente conhecida com Iz, e que trouxe um exemplo prático desta nova fase da EME.

[Notícia completa na edição impressa do Farol de Esposende]


Também pode gostar