Esposende: Ativista ambiental regressou a Apúlia e ficou desiludido

AvatarRedação , 9 de maio, 2022

278528276 605517740623877 4555205271900246382 n

"Inundície de resíduos choca peregrinos em Apúlia". É desta forma que Carlos Dobreira, ativista ambiental e praticante de plogging que chegou a ser recebido na Assembleia Municipal de Esposende com beatas que havia apanhado nas praias do concelho, reage ao que encontrou na pequena vila do concelho de Esposende.

"Hoje de manhã, em duas sessões de plogging, recolhi 200 litros de resíduos e 400 beatas de cigarro em 3h e 50m. Na Avenida Cedovem, recolhi 100 litros de resíduos e 400 beatas de cigarro em 2h e 26 m. Da recolha destaque para estilhaços de vidro, caricas, maços de tabaco, máscaras, fraldas e embalagens de medicamentos", deu nota em comunicado enviado ao E24.

 

Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por E24 (@e24.pt)

Aliás, o ativista diz ter recolhido na praia da Apúlia Norte, em 1 h e 24m, "100 litros de resíduos, muitos deles já próximos da água".

"Destaque para garrafas de plástico, fio de pesca, cordas, cabos, roupas, máscaras, palhinhas, rede de pesca, restos de sacos de plástico e latas, embalagens de gomas e de pastilhas elásticas. As sessões de plogging chocaram vários peregrinos, em particular da Alemanha e com quem estabeleci contacto para gizar colaboração futura", frisa Carlos Dobreira.

As beatas de cigarro serão doadas ao Laboratório da Paisagem, em Guimarães, para transformação em estrutura construtiva.


Também pode gostar