Esposende: Eurodeputado alerta para a necessidade de que "Portugal tem que definir o objetivo 2030"

AvatarFrancisco Xavier, 10 de maio, 2022

eurodepu

O eurodeputado José Manuel Fernandes alertou em Esposende para o facto de o investimento futuro da União Europeia estar muito direcionado para o combate às alterações climáticas e para a digitalização, o eurodeputado chamou a atenção para o facto de o programa Portugal 2030 terminar em 2029.

“Estamos em 2022 e ainda não foi aprovado. O país tem que definir o objetivo para 2030, nomeadamente em termos de educação, investigação, exportações e importações", apontou em declarações no âmbito das comemorações do Dia da Europa, em Esposende promovidas pelo Europe Direct Minho, projeto do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave, em parceria com a Comissão Europeia, através da sua Representação em Portugal.

José Manuel Fernandes lembrou ainda que 90% do investimento público, em Portugal, “tem origem na União Europeia".

"Um dia destes, o Orçamento de Estado serve apenas para despesas correntes”, defendendo que Lisboa “tem de perceber que é a região mais rica do país e, se Portugal estivesse todo nessa situação, não recebia Fundo de Coesão”.

Já o presidente da Câmara de Esposende alertou para o “desajustamento das necessidades”, como principal entrave ao recurso a fundos comunitários.

“Gastou-se mal em vias de comunicação e agora necessitamos construir vias estruturantes e não há verbas para isso”, disse Benjamim Pereira, elencando os casos das variantes à cidade, a Fão, ou a Apúlia.

“Na Câmara Municipal de Esposende não desenvolvemos projetos em função da disponibilidade de fundos para certa área, mas antes em função da necessidade do concelho”, referiu Benjamim Pereira, apontando como exemplos as intervenções no Mercado Municipal, no Arquivo Municipal, no Largo Rodrigues Sampaio, no Forte S. João Batista ou na Estação Radionaval.

Alexandre Almeida, coordenador para uma Especialização Inteligente, na Agência Nacional de Inovação, lembrou que a estratégia desta entidade é “ajudar as empresas a melhorar os processos” e sustentou que a transferência de negócios para o modelo digital é o grande desafio que se coloca nos nossos dias.

 


Também pode gostar