Esposende: Palmira arranjou flores à face da estrada em Fão mas a IP destruiu

AvatarNuno Cerqueira, 13 de julho, 2021

Captura de ecra 2021 07 13 as 15.34.18

«No mínimo ridículo e demonstrativo das prioridades da IP com as nossas vias nacionais». É desta forma que se reage ao cenário que hoje de manhã foi encontrado na Vila de Fão, nomeadamente na estrada sul da vila do concelho de Esposende, após um "abate" de flores, as famosas hortênsias que ali embelezam as faixas laterais da EN13.

A estória é fácil de contar. Dona Palmira, conhecida dos fangueiros, ali costuma cuidar das flores, dando uma imagem bela às faixas laterais da EN13 que há dezena de anos pedem passeios para proteger os peões.

«Até hoje nada, restam as flores para dar um ar bonito à entrada», afirmam os fangeiros

Dona Palmira é assim uma espécie de zeladora de mil metros floridos da EN13. Quem visita o concelho de Esposende, e antes de provar um folhadinho de Fão ou um Clarinha, acaba por passar neste local, que faz lembrar muitas via nas ilhas dos Açores.

A junta até enalteceu o trabalho da Palmira no passado dia 2 de junho, agradecendo à "zeladora" que ali passa para cuidar das flores.

Ora, a Infraestruturas de Portugal (IP), completamente indiferente e desconhecedora dos reais problemas daquela troço da EN13, decidiu dar cabo das flores com um autêntico corte rapado.

«Ontem foi comunicado por parte da entidade responsável pela limpeza das bermas da N13 que tinham indicações superiores para executar corte raso às hortênsias existentes na N13, em Fão», confirma o presidente da Junta, Luís Peixoto, que mesmo assim conseguiu evitar danos mais nefastos.

 

«Depois de conversações com responsável conseguimos demover o corte raso. No entanto o resultado está à vista. É com profunda tristeza e de mãos atadas que assistimos ao cenário resultante», diz, denunciado as trocas nas prioridades da IP.

«E nós que já andamos há anos e anos a reclamar passeios que salvaguardem a mobilidade de peões no troço em questão. As prioridades estão invertidas. Para esta entidade primeiro estão os automóveis e só depois os peões», frisa.

A IP, através de fonte, confirma o corte, mas não tem respostas para os passeios exigidos no local, dando nota que não está previsto nos próximos tempos qualquer obra para aquela local.


Também pode gostar