Esposende: PSD deixa sair farmácia de Belinho e PS denuncia "esquema" previsto desde 2020

AvatarRedação , 13 de abril, 2022

Captura de ecra 2022 04 06 as 00.36.54

A noite foi quente em Belinho depois de uma Assembleia de Junta, da UF de Belinho e Mar, que tinha como ponto a saída da Farmácia de Belinho, onde a proprietária é casada com o presidente da Assembleia Municipal de Esposende, Carlos Silva, para o centro da sede de concelho.

Na Assembleia de Freguesia foi notório o desconforto dos eleitos do PSD, dando a entender, nos corredores, que tinham sido obrigados a não aceitar o voto de repúdio sugerido pela transferência da Farmácia de Belinho para Esposende.

O PS foi o primeiro partido a vir a terreiro afirmar que «os eleitos do PSD traíram os interesses de Belinho e Mar» e «colocaram-se ao lado dos interesses da dona da farmácia, que é casada com o presidente da Assembleia Municipal de Esposende, facto decisivo em todas as deliberações dos eleitos do PSD na assembleia de freguesia e na Câmara».

Questionado sobre a argumentação da proprietária da farmácia e dos elementos no poder de Belinho, Tito Evangelista e Sá, presidente da comissão administrativa do PS de Esposende, disse que há provas que a retórica dos interessados é uma falácia.

«O caso da transferência da farmácia é escandaloso. A farmacêutica de Belinho invoca o encerramento do centro de saúde e a diminuição do rendimento para a transferência da farmácia. Ora, de acordo com as contas públicas apresentadas pela Farmácia de Belinho, a que tivemos acesso, depois de pagos todos os custos, teve a sociedade unipessoal proprietária da farmácia, em 2020 teve lucros de mais de 144 mil euros, mais do dobro do que aquilo que tinha tido em 2018, altura em que o Centro de Saúde estava aberto», denuncia, afirmando que «não há razão económica ou financeira para a transferência da farmácia, a não ser a vontade da proprietária».

Mas o PS apresenta ainda mais factos e mostra as compras das frações para onde vai a farmácia de Belinho (para o prédio entre o Aldi e a antiga Estalagem Zende), vontade que diz vir «já antes de 2020».

«Em 28 de janeiro de 2021, a farmacêutica de Belinho, através de escritura pública comprou a fração C do prédio frente à Estalagem Zende. Em 4 de março de 2021, o marido da farmacêutica de Belinho, presidente da Assembleia Municipal, comprou a loja ao lado da anterior, designada pela letra D. Ou seja, o objetivo da transferência da farmácia para o referido local já vem, pelo menos, desde 2020», frisa o PS através da Tito Evangelista e Sá.

Para o PS de Esposende fica claro que «os vereadores do PSD na Câmara, e os membros da Assembleia de Freguesia de Belinho e Mar, em vez de votarem de acordo com a lei que juraram cumprir e o interesse público que prometeram defender, votaram ao lado dos interesses do presidente da Assembleia Municipal que se encontra casado em regime de comunhão geral de bens com a farmacêutica de Belinho».

«Nós tiramos daí as devidas conclusões, quem tiver “cabeça” pense e tire as suas. São episódios como o da transferência da farmácia de Belinho que desacreditam a política e os políticos. Tudo o que afirmamos nesta publicação está documentalmente provado», vaticinando com a afirmação «o PSD de Esposende já não tem vergonha de misturar os interesses dos seus com os interesses públicos».

Este jornal tentou obter reações junto do PSD de Belinho, mas sem sucesso até ao momento.


Também pode gostar