Esposende vai mudar e a primeira obra já começou mas há críticas

AvatarFrancisco Xavier, 11 de maio, 2022

WhatsApp Image 2022 05 10 at 12.59.33

As máquinas avançaram e começaram a intervenção na área central da cidade de Esposende, nomeadamente nas traseiras da Igreja Matriz de Esposende, numa pequena praça, a Frei Bartolomeu dos Mártires, que no futuro vai ganhar mais centralidade, um novo conceito, mais espaço de sombra, e será uma espécie de filha da obra mãe que vai nascer do outro lado da Igreja, o Largo Rodrigues Sampaio.

Integrado nas obras do PARU, que vão requalificar um conjunto de espaços, onde se inclui a praça que acolhe D. Sebastião integrada nos 450 anos de Esposende, os procedimentos para a regeneração urbana já começaram.

Nas redes sociais algumas dúvidas se levantam, mas o projeto vai mudar a face e o conceito de usufruto das diferentes praças da cidade pérola do Cávado.

A intervenção prevista para o Largo Rodrigues Sampaio e zona envolvente pretende, por um lado, afirmar a centralidade deste núcleo urbano e, por outro, melhorar a imagem deste espaço onde tradicionalmente se realizam eventos e atividades lúdicas e culturais importantes para a vitalidade social e económica de Esposende.

A obra representa um investimento de 1 milhão e 150 mil euros e tem um prazo de execução de um ano.

 O PS já veio a público tecer algumas críticas, comparado a intervenção aquela que mudou a fale do Largo dos Peixinhos. Tito Guilherme e Sá, que lidera a comissão administrativa do PS, não concorda com a obra, pois defende que se pense "o presente para projetar o futuro".

"Com a construção de um parque de estacionamento subterrâneo, semelhante àquele que foi construído em Viana do Castelo e na Póvoa de Varzim, concelhos vizinhos, que sirva o comércio, serviços e habitações envolventes, a Igreja Matriz, Tribunal, Câmara, Conservatórias, agências bancárias, em suma, resolva todo o problema de estacionamento no centro cívico de Esposende. A obra projetada é meramente cosmética", afirma Tito Guilherme.

Também o BE veio a público manifestar preocupação.

"Não vai ser mais uma dezena de lugares que fará a revitalização daquela zona da cidade, nem irá eliminar nenhum dos problemas que ali ocorrem, e assim a cidade perde mais um pouco o pouco verde que ainda restava, ficando agora reduzido à Praça D.Sebastião, à zona do Mural junto à Solidal e na Marina dos Pescadores", apontam os bloquistas liderados em Esposende por Manuel Pereira.

O CDS-PP também veio a público, curiosamente com a mesma foto do Bloco de Esquerda, afirmar que "a Praça D. Frei Bartolomeu dos Mártires é um bom exemplo de um espaço que poderia ser requalificado num jardim de proximidade, promovendo a biodiversidade, o recreio e o lazer".

"Infelizmente, a opção tomada foi em sentido oposto, recaindo na conversão daquela praça em novo lugar de estacionamento", afirma o partido liderado por Rui Silva.

O CHEGA também já veio lamentar a destruição de mais um praça em Esposende, lembrando que a autarquia liderada por Benjamim Pereira não tem qualquer tipo de estratégia coerente para o concelho no que diz respeito a regeneração urbana ou enquadramento ambiental.

"Este presidente da Câmara pensa que as pessoas comem gelados com a testa. Faz de todos que votaram nele de ignorantes. E anda a pedir empréstimos para fazer estragos no que pouco resta desta sede de concelho. É claramente uma pessoa desorientada e esta intervenção é mais uma", afirma o CHEGA.

A CDU de Esposende não esboçou qualquer opinião. 

 


Também pode gostar