Está em Esposende a primeira agência funerária para animais do norte

AvatarNuno Cerqueira, 19 de maio, 2022

Pet soul 1

Quem é que não teve um Boris, um Bobby de quatro patas, ou um Tareco de arranhava tudo? Quem não soltou uma lágrima, um silêncio profundo ao ver o Nemo, o Woddy ou Pantufas partir?

Se a chegada de um novo cão ou gato -  os mais convencionais - ao lar de qualquer família é, regra geral, um evento de grande impacto nas nossas vidas, a sua morte pode ter igualmente um impacto muito grande e a hora do adeus termina, em regra geral, num aterro.

 

"Percebi que quando os animais ficam nas clínicas para serem cremados, são cremados juntamente com o lixo hospitalar e as acabam cinzas num aterro. Achei que os animais mereciam outro fim, um fim digno e foi aí que nasceu a PetSoul", começa por referir Daniela Azevedo, proprietária desta agência funerária para animais.

A despedida do animal de estimação pode ser difícil. Não importa o tempo em que eles conviveram com os seus tutores, pois a intensidade do amor e carinho é lembrada para o resto da vida, ocasionando fragilidade na despedida.

"Ter alguém para dar suporte nesse momento, pode aliviar e facilitar esse processo", refere Daniela. E foi a pensar nisso que a PetSoul surge, com produtos, serviços e principalmente pessoas preparadas, oferece na última homenagem digna do amor entre tutor e animal.

"Percebi que havia uma lacuna neste serviço. A PetSoul pretende ser essa ajuda com diferentes produtos. É feito todo acompanhamento fúnebre, assim como urnas para terem em casa ou biodegradáveis para lançar ao mar ou colocar num jardim para dar origem a uma árvore. Há jóias para colocar as cinzas. Em suma, há todo serviço semelhante à despedida do um humano", refere a proprietária da PetSoul que até quer criar no Parque Nacional da Peneda Gerês uma zona onde se possa plantar árvores juntamente com as cinzas do animais.

"Isso já é feito no Parque Natural da Arrábida e queria fazer isso aqui", frisa.

Daniela Azevedo destaca ainda a importância do acompanhamento profissional na despedida do animal de estimação, pois o luto tem um impacto psicológico em tudo igual à morte de um familiar.

"Vemos os tutores perdidos quando o óbito acontece, pois muitas vezes estiveram com o animal de estimação por mais de uma década e ficam completamente perdidos nesse momento, então pensamos e cuidamos de tudo de forma humanizada e com apoio psicológico se necessário", frisa, pois, e como destaca, os animais de estimação são parte integrante da família.

"O luto pela perda de um animal é real, legítimo e precisa ser vivido adequadamente para que seja integrado à nossa vida. Não existe hierarquia no luto", aponta.

O espaço fúnebre, onde inclui um crematório, está localizado na zona industrial de Bouro, em Esposende.


Também pode gostar