Esposende: Laticínios das Marinhas manifesta preocupações com escalada de preços e falta de apoio

AvatarFrancisco Xavier, 25 de maio, 2022

234284691

O Bloco de Esquerda (BE) de Esposende esteve em visita ao Lacticínios das Marinhas, no concelho de Esposende, e ouviu algumas preocupações daquela unidade fabril que produz, por exemplo, uma das manteigas mas saudáveis do mundo.

Segundo o BE, Berta Castilho, uma das responsáveis da unidade instalada na freguesia das Marinhas, referiu que o sector dos laticínios tem sido afetado pelos efeitos diretos e indiretos da Guerra da Ucrânia provocada pela Rússia.

"Os desafios começam nos seus fornecedores de matéria-prima, que veem os seus custos de produção em constante crescimento, e que cada vez mais afeta a possibilidade de obter matéria-prima junto dos pequenos produtores, que asseguram a qualidade necessária para os seus produtos, e que de momento não contam com nenhuma linha de apoio em específico para este sector e que faça face aos aumentos das rações para animais, e o gasóleo agrícola continuam sem o mesmo pacote de ajudas que os outros combustíveis", dá conta o BE de Esposende liderado por Manuel Pereira.

"Aqui, as ajudas diretas e indiretas a serem dadas em específico a este sector têm de ser trabalhadas pelos representantes políticos e as organizações representativas dos profissionais do sector e alargamento das medidas a todos os profissionais do sector", acrescenta inda o BE.

O BE ouviu ainda os responsáveis da unidade fabril manifestar "a demora e estagnação", no processo de alargamento da rede de gás industrial às instalações fabris, do processo de instalação de cerca de 200 painéis fotovoltaicos, apoio às manutenções da ETAR biológica, e de apoio para transformação da Caldeira de Vapor em caldeira de gás.

"Sendo estas algumas das necessidades mais urgentes dos Lacticínios das Marinhas, é nossa opinião firme que parte destes processos deveriam ter um olhar mais atento pelo Poder Local na sua resolução. Estas transformações tornariam os Lacticínios das Marinhas ainda mais competitivos, mais eficientes, mais ecológicos e mais modernos, mantendo a autenticidade naquilo que importa: a manteiga e o queijo", frisam os bloquistas, que pedem um gabinete de apoio técnico dedicado em permanência que permita "um acesso mais facilitado por parte de todo o tecido empresarial a todos os programas de apoio à transformação industrial e do enquadramento legal e burocrático".

O escoamento do produto é outro dos problemas. As características dos produtos das Lacticinos das Marinhas obrigam a uma produção cuidada, quase artesanal, sem uso abundante da cadeia de frio e de qualquer tipo de aditivos, o que obriga a que os seus pontos de venda sejam próximos em termos de tempo de deslocação, tornando a exportação resumidamente à Galiza e a alguns outros poucos pontos fora de Portugal, tornando essencial a facilidade logística e o acesso a esses mesmos serviços, um passo vital para o sucesso da sua comercialização.

"Em resumo, e pelo que nos foi deixado claro, é claro que aos Lacticínios das Marinhas necessitam de um acompanhamento mais próximo e de interlocutores dinâmicos junto das instâncias oficiais que resolvam os problemas de forma célere, eficaz e que atuem de forma preventiva e pensem as nossas políticas sempre com uma perspetiva a médio/Longo prazo", vaticina o BE.


Também pode gostar