Milhares receberam Rui Rio no primeiro dia de campanha em Barcelos

AvatarRedação , 16 de janeiro, 2022

272027981 10222870029673966 2222812768131666612 n

O candidato do PSD a primeiro Ministro recebeu hoje à tarde em Barcelos um "mar de gente", naquele que foi o primeiro dia de campanha das legislativas.

Acompanhado dos candidatos de Braga, como André Coelho Lima, e o edil de Barcelos, Mário Constantino, Rui Rio entrou ao ataque acusando o PS “de deturpar” as propostas sociais-democratas e de insistir na mentira, como a privatização da Segurança Social, para “amedrontar” as pessoas.

“E quando eles (PS) sentem que podem perder começam sempre da mesma maneira, começam a deturpar aquilo que nós dizemos e, em vez de darem as suas propostas, começam a deturpar as nossas”, afirmou Rui Rio, num discurso dirigido aos muitos apoiantes e militantes que se juntaram esta tarde em Barcelos, no distrito de Braga, para o arranque oficial da campanha eleitoral.

 

Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por E24 (@e24.pt)

Rui Rio acusou o PS de dizer que o “PSD vai querer privatizar a Segurança Social”.

“Nunca o PSD disse isso, sabem que não dizem, mas como não têm propostas concretas deles próprios tratam de mentir com as propostas dos outros, ninguém vai privatizar segurança social nenhuma”, reforçou.

Garantiu que aquilo que o PSD quer é “assegurar as pensões de hoje, como inclusive as de futuro” e que “ninguém vai privatizar segurança social nenhuma” e “ninguém vai por o futuro das pensões das pessoas na bolsa".

“Isso eu disse claramente na televisão, o PS ouviu-me a dizer isso mas insiste nessa mentira para tentar amedrontar as pessoas”, frisou.

Rui Rio considerou ainda a publicação de António Costa, anunciando a inscrição para votar antecipademente, como uma brincadeira, dizendo que a campanha eleitoral também tem de ser “alegre e com alguma piada”.

Numa publicação na sua conta oficial da rede social Twitter, Rio escreveu ao início da tarde: “O Dr. António Costa arranjou uma forma airosa de evitar ter de fazer o que sabe que não é bom para Portugal; ter de votar nele próprio. Chapeau!”, depois de o líder socialista ter anunciado que pretende votar no dia 23 de janeiro, no Porto.

A publicação já mereceu críticas de deputados como Pedro Delgado Alves (PS) ou o líder parlamentar do BE Pedro Filipe Soares (BE), que acusaram Rui Rio de desinformação e de desconhecer a lei eleitoral, respetivamente, uma vez que o voto em mobilidade é contabilizado no círculo de origem.

Questionado na arruada em Barcelos, Rio desdramatizou.

“A tendência das campanhas eleitorais é de começarem a ficar tensas e uns contra os outros. O que pretendo é brincar, não têm sentido de humor? Eu sei que ele pode votar em Mirandela, Porto ou Lisboa e conta sempre para no sítio onde está recenseado”, afirmou.

“Não querem com brincadeira posso fazer sem brincadeira”, assegurou.

Questionado se quis tirar alguma tensão da campanha, o presidente do PSD respondeu afirmativamente: “E vou fazer isso provavelmente mais vezes, a campanha eleitoral também tem de ter alguma piada, dizemos coisas sérias, mas outras também com piada”, afirmou.

Sobre as críticas de que poderá confundir os eleitores, Rio considerou que acha “sinceramente que não”.

“Devemos fazer isto com alegria, respeito e alguma brincadeira à mistura, para as coisas não serem tão pesadas. Podemos começar todos a insultar-nos uns aos outros ou pegar na vírgula que cada um disse e tentar fazer disso um caso, não é o meu estilo como sabem”, afirmou.

Ainda assim, para quem não pensar desta forma, Rio deixou um conselho: “O que disse é uma brincadeira, quem quiser levar isto muito a sério, que não vote em mim, vote naqueles que levem muito a sério”, afirmou.

Rui Rio esclareceu ainda que não pretende recorrer ele próprio ao voto antecipado.


Também pode gostar