Cidades pedem um papel mais interventivo à Comissão Europeia

AvatarRedação , 6 de março, 2022

2 v3

“É fundamental que a Comissão Europeia crie mais mecanismos de participação das cidades no processo de distribuição de fundos” defendeu Ricardo Rio, numa reunião entre a direcção da Eurocities e a Comissária Europeia para a Coesão e Reformas, a portuguesa Elisa Ferreira.

Esta reunião decorreu à margem da Cimeira Europeia das Regiões, que decorreu entre os dias 2 e 4 de março em Marselha. Além do PResidente da Câmara Municipal de Braga, participaram ainda o Presidente da EUROCITIES e autarca de Florença, Dario Nardella, o presidente de Roterdão, Ahmed Aboutaleb e ainda secretário de Estado da região de Bruxelas, Pascal Smet.

Ricardo Rio defendeu que “é importante que as autoridades locais e regionais sejam mais ouvidas durante o processo de atribuição dos fundos europeus, sendo fundamental que haja em atenção a diferença de realidades ao nível europeu, criando mecanismos flexíveis que possam dar resposta aos diferentes problemas das cidades”.

O autarca de Braga deu ainda o exemplo que “a inovação ao serviço das cidades deve ser premiada pelos decisores europeus, sendo fundamental que existam fundos específicos para apoiar as cidades nestes próximos anos, que serão certamente muito difíceis”.

Esta reunião serviu também para alertar que a guerra na Ucrânia deverá criar uma crise humanitária sem precedentes na Europa e que o fluxo de refugiados de guerra deverá chegar aos vários milhões, o que deverá implicar um reforço financeiro para apoiar as cidades a receber estes ucranianos. Dario Nardella explicou ainda que é importante que os mecanismos a criar sejam flexíveis, a exemplo do que sucedeu com a resposta europeia à pandemia do Covid-19.

A política de coesão é fundamental para reverter tendências preocupantes, como as crescentes desigualdades nas cidades”, defenderam os representantes da maior rede de cidades europeias,destacando que os fundos de coesão podem ajudar as cidades a atingir metas de longo prazo, como sustentabilidade e independência energética.

Elisa Ferreira demonstrou estar alinhada com as preocupações dos autarcas europeus e prometeu ainda que iria tentar estar presente na próxima reunião do Comité Executivo da Eurocities, que irá decorrer em Florença durante o Estado da União Europeia, que irá realizar em maio deste ano


Também pode gostar