Cávado: CIM aponta caminho da inovação para o desenvolvimento do território

AvatarRedação , 11 de junho, 2021

CMB11062021SERGIOFREITAS002151383059

A Estratégia de Desenvolvimento ‘Cávado 2030’ aponta o caminho da inovação, da coesão territorial e social, assente na sustentabilidade de todo o território. As linhas instrutoras desta estratégia, elaborada pela Comunidade Intermunicipal do Cávado (CIM Cávado), foi apresentada hoje, numa sessão que decorreu no Altice Forum Braga, numa iniciativa realizada em parceria com o Jornal de Negócios.

 

Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por E24 (@e24.pt)

A Estratégia de Desenvolvimento Territorial ‘Cávado 2030’ está disponível para consulta no site da CIM Cávado e poderá descarregar o documento em: https://bit.ly/3zl78N9

“O ponto de partida para esta estratégia ‘Cávado 2030’ partiu da consciência daquilo que somos hoje e da ambição do que pretendemos ser num horizonte temporal de dez anos. Hoje, apresentamos um documento que aponta um caminho que tem um pilar fundamental ligado à inovação, à capacidade de sermos um território diferenciador com base no conhecimento que é gerado, ligado à coesão territorial e social e com forte aposta na capacitação da administração enquanto instrumento de resposta para cada uma das prioridades”, referiu Ricardo Rio, presidente do Conselho da CIM Cávado, sublinhando que a construção desta estratégia resultou de um processo aberto que deu voz a dezenas de instituições e aos próprios cidadãos que deram contributos para o enriquecimento deste plano através do processo de participação pública.

O documento reúne as linhas de actuação para os próximos anos, enquadrada no contexto da preparação do próximo período de programação dos Fundos Europeus Estruturais de Investimento (2021/2027), e terá incidência no desenvolvimento do território da NUT III Cávado.

O documento esteve em consulta pública entre os dias 15 e 30 de maio, e reúne os diversos contributos de instituições públicas e privadas e, em particular, das autarquias locais que constituem a CIM Cávado: Amares, Barcelos, Braga, Esposende, Terras de Bouro e Vila Verde.

“A CIM Cávado representa um território muito rico e, simultaneamente muito diversificado. É um território que tem um enormíssimo potencial, com recursos endógenos que importa valorizar e que tem várias oportunidades de desenvolvimento que resultam da capacidade dos agentes que aqui têm desenvolvido o seu trabalho”, referiu Ricardo Rio, destacando os centros de conhecimento, como as Universidades e os Politécnicos, o diversificado tecido empresarial e com uma vocação predominantemente exportadora, assim como a componente do turismo e da dinâmica social, cultural e comercial de todo a região.

 


Também pode gostar