Orçamento de 25 milhões aprovado pela Câmara de Caminha

AvatarPedro Gomes , 5 de janeiro, 2022

Caminha

Com um valor de 25 milhões, o Plano de Atividades e Orçamento (PAO) de 2022 foi aprovado esta quarta-feira pelo executivo municipal de Caminha, com três votos contra do PSD, informou o presidente Miguel Alves.

Em declarações à agência Lusa, o autarca socialista naquela autarquia do distrito de Viana do Castelo, composta por quatro elementos, afirmou que “num contexto económico-social muito difícil, este é o terceiro maior orçamento dos últimos 12 anos”, sendo que dos “25 milhões de euros de despesa prevista para este ano cerca de nove milhões de euros são para investimento”.

“Apoiamos as famílias com o IMI familiar que representa uma perda de receita para o município, mas permite descontos até 70 euros para famílias com filhos e aumentamos em 70% o apoio para despesas domésticas de famílias em dificuldades”, apontou Miguel Alves. “A Camara de Caminha continua a ter muitas dificuldades, mas, nos últimos dois anos, tem conseguido ter resultados de exercício positivos. É isso que queremos repetir em 2022, com ambição de fazer mais, claro, mas com a responsabilidade que ainda não nos permite baixar a generalidade dos impostos que representam a receita do município”, especificou.

Na declaração de voto da bancada do PSD, a que a Lusa teve hoje acesso, os três vereadores do partido consideram que o PAO para 2022 “é uma mão cheia de nada e de valores avulso, que não tem qualquer explicação no documento”.

Defendem que o PAO apresenta “os problemas e falhas que se mantêm ano após ano, revelando falta de capacidade [do presidente da câmara] para gerir a área financeira, a qual, para que fique registado, está sem chefe de divisão há praticamente dois anos”.

Segundo o PSD, o documento é “mais do mesmo, esquece as famílias e apoio à natalidade, não pretende reduzir o IMI no geral, não prescinde do IRS das famílias e, castiga na fatura da água”.


Também pode gostar