Plogging: Carlos Dobreira recebe menção honrosa para prática de plogging

AvatarRedação , 19 de novembro, 2021

Carlos Dobreira

Carlos Dobreira, professor de História e educação especial, residente em Palmeira, Braga, recebeu uma menção honrosa pela prática de plogging, uma combinação de corrida com recolha de lixo.

 

A distinção integra-se no âmbito da primeira edição da iniciativa Movimento Faz Pelo Planeta By Electrão, uma campanha lançada em Maio pelo Electrão, que pretende trazer para a ribalta ativistas anónimos, também designados de “big changers”.

Desde junho de 2019 que o professor recolhe beatas de cigarro e outros resíduos em seis concelhos do Centro e Norte de Portugal: Amares, Braga, Esposende, Ílhavo, Seia e Terras de Bouro. No total já recolheu mais de 60 mil beatas de cigarros e outro tipo de resíduos ao longo de 166 sessões cronometradas de plogging.

Uma outra menção honrosa foi atribuída a Miguel Lacerda, um ambientalista a tempo inteiro residente em Cascais, fundador da Associação Cascaisea, que dedica a sua vida à sensibilização para a problemática do lixo marinho, com estudos, livros e formações para crianças e adultos com o objetivo de mudar mentalidades.

A grande vencedora desta iniciativa é Lídia Nascimento. Tem 50 anos, é tradutora de inglês-alemão e reside em Santa Cruz, Torres Vedras. Há 20 que recolhe lixo das praias: embalagens, brinquedos, redes de pesca, medicamentos e até chaves.

A página de Lídia Nascimento “Mar à deriva – Adrift Sea” tem nove mil seguidores no Facebook e mais de 6700 no Instagram. Usa as redes sociais – não as redes de pesca que recolhe nas praias – para alertar para a quantidade desmedida de plástico à deriva e não só. “Queremos que os nossos filhos tenham um planeta para viver no futuro, bem como os filhos das baleias, dos golfinhos, dos cavalos-marinhos”, escreve nas páginas que usa como mostruário dos ‘espécimes artificiais’ captados à beira mar.

Nas ações de limpeza das praias, que dinamiza em conjunto com o marido, Manuel Nascimento, já retirou da costa portuguesa quase 30 mil quilos de lixo só nos últimos três anos. Realizam cerca de 150 ações por ano. O propósito é tentar proteger espécies marítimas em Portugal. Lídia Nascimento, autora do livro “Mar à deriva”, realiza também ações de sensibilização nas escolas e promove a alimentação sustentável, com vista à redução do consumo de carne, entre outros hábitos saudáveis.


Também pode gostar