×
D-IMO-BANNER.jpg

▶️ PRR: Autarcas desagradados e descontentes

Redação - 27 de fevereiro, 2021

O PRR foi colocado em consulta pública no dia 16 e houve autarcas que rapidamente manifestaram a sua satisfação, como os de Guimarães e Viana do Castelo.

No entanto, simultaneamente, começaram as críticas, que foram engrossando ao longo dos dias. De Terras de Bouro a Esposende, passando por Vila Verde e Braga, o documento foi “brindado” com expressões como “enorme desilusão”, “sentença de morte”, “embuste e erro colossal” ou “mais do mesmo”.

 A falta de grandes investimentos para o interior é uma das críticas mais apontadas pelos autarcas ao PRR, que se encontra em consulta pública até segunda-feira.

Na opinião do presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, este é um plano que “está muito orientado” para as áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto, e lamenta que tenha deixado de fora o projeto de Bus Rapid Transit, que permitiria uma ligação direta entre Braga e Guimarães.

Para a Câmara de Vila Verde, foi uma "enorme desilusão" não ver no documento “a construção de vias estruturantes, como a variante à sede concelhia, de crucial importância para melhorar a fluidez do intenso tráfego que diariamente percorre a EM 101 e que se encontra a braços com sérios e constrangedores congestionamentos".

Excluída ficou também a construção da via intermunicipal do Homem-Lima, reivindicada "há mais de 10 anos", critica o presidente da Câmara de Terras de Bouro, Manuel Tibo, alertando que esta obra é "estruturante para o desenvolvimento do concelho e que pretende substituir a Estrada Nacional 301".

Em Esposende, Benjamim Ferreira lamenta que o PRR seja "mais do mesmo" e não tenha contemplado "o financiamento do Parque da Cidade, a ponte pedonal e ciclável sobre o rio, a Variante de Ofir e o acesso a zonas industriais".

  • PARTILHAR