Festival SoundVille em Viana e Barcelos regressa com pouco público e mais ‘online’

AvatarRedação , 17 de agosto, 2021

Captura de ecra 2021 08 17 as 23.42.23

O festival SoundVille, iniciado há cinco anos nas margens do rio Neiva, em Viana do Castelo e Barcelos, regressa entre os dias 27 e 29, com pouco público e aposta nas transmissões ‘online’ dos concertos, foi hoje divulgado.

Filipe Castro da organização do festival, que decorre desde a criação, há cinco anos, na Azenha das Pesqueiras, nas freguesias de Barroselas, concelho de Viana do Castelo, e Durrães, Barcelos, adiantou que a participação presencial vai ser limitada a cerca de uma centena de pessoas, quando em edições anteriores o evento juntava perto de um milhar de festivaleiros.

O SoundVille, retomado após “um interregno forçado” devido à pandemia de covid-19, “vai assumir um formato essencialmente virtual com a transmissão dos concertos através de ‘streaming’”, estando já confirmados Noiserv, JP Simões e HHY & The Macumbas.

Filipe Castro explicou o objetivo da organização “é promover o rio Neiva e conservar o património existente”.

“A principal motivação para retomar o festival não se prende com o evento festival em si, mas sobretudo para não deixar que o local caia no abandono, como se encontrava antes de o termos iniciado”, sustentou.

Há cinco anos, segundo Filipe Castro, para o lançamento do festival, a organização “teve de conquistar o espaço ao mato que o envolvia, limpar as margens do rio, recuperar algum património edificado”.

“Estamos a realizar a quarta edição mais numa perspetiva de conservar, promover e valorizar o espaço e o rio Neiva porque o festival, nestes moldes, não é a mesma coisa”, sustentou.

O programa do SoundVille prevê no dia 27, a apresentação de “Onde ser é estar”, trabalho de som e vídeo da autoria de Frederico Dinis.

A noite inclui os concertos de Lisa Wanloo e HYY & The Macumbas. No sábado, dia 28, atuam ainda Ghost Hunt e JP Simões, e, no dia seguinte, José Valente e Noiserv fecham o festival.

O SoundVille “dispõe de vários espaços orgânicos em harmonia com a e biodiversidade do rio Neiva”.

Há “água potável gratuita, as louças são reutilizáveis, a iluminação tem máxima eficiência energética, as casas de banho são ecológicas e todos os resíduos são separados, reciclados e valorizados”.

“A ideia é a reversão da pegada ambiental do evento”, refere a organização.

Organizado pelo Núcleo de Apoio às Artes Musicais (NAAM) e pelo Futebol Clube Lírio de Neiva, o festival ecológico pretende “chamar a atenção para o rio Neiva, reunindo o apoio das Câmaras de Viana do Castelo e Barcelos, da União de Freguesias de Durrães e Tregosa, da União de Freguesias de Barroselas e Carvoeiro, do Instituto Português do Desporto e Juventude, do Ministério do Ambiente e do Fundo Ambiental”.

 


Também pode gostar