Esposende: Manuel Pereira quer «ser voz de todos esposendenses»

AvatarRedação , 2 de agosto, 2021

224472534 4455559227841374 4937592537062899349 n

Manuel Pereira é candidato à Assembleia Municipal de Esposende pelo Bloco de Esquerda (BE) e quer lutar «em nome de todos esposendenses»

O ex-dirigente da Associação Desportiva de Esposende frisou que quer ser um voz ativa, «sem medo de incomodar e independente», disse.

Romper um ciclo de 30 anos de PSD é outros dos objetivos de Manuel Pereira, dando conta que «há muita a fazer no concelho de Esposende». 

 

«Esposende em Bloco» é o lema da campanha, pois para Manuel Pereira «Esposende não pode apenas ser um privilégio da natureza».

«Tem que ser um privilegio e muita outras coisas. A nossa campanha estará focada para as pessoas», frisou

«Vamos pautar por rum projeto que visa a educação, ambiente, saúde, transportes, igualdade de direitos», destacou.

Manuel Pereira falou ainda dos problemas em adquirir casa a preços controlados em Esposende que faz com que a populção não se fixe no concelho.

«Este é um dos problemas de jovens famílias, empreendedores, reformados em conseguir casa em Esposende, pois  Esposende é o local mais caro do pais para conseguir habitação», disse.

O candidato lembrou os rendimentos dos esposendenses, que em média é 178 euros mais baixo do que um normal português.

Manuel Pereira falou ainda em transportes. Lembrou que quem  trabalha nas zonas industriais do concelho «não tem alternativa de transportes públicos» e frisou ainda o problemas dos transportes públicos eficazes para chegar à grande área de Braga e Metro de Porto.

«Esposende tem que fazer parte do metro de superfície que se pretende instalar no quadrilátero de Braga», disse.

O candidato lembrou os tradicionais problemas da Barra, a falta de rede pública de saúde, lembrando a ausência de hospitais públicos no concelho.

«Quem se magoa em Esposende ou vai ao privado ou tem que ir a Braga», exemplificou.

E igualdade direitos é outra das bandeiras do BE. Manuel Pereira comparou mesmo Esposende ao Irão. «Somo pessoas sem voz e queremos agora que todos tenham voz», vaticinou.


Também pode gostar