Maciel candidato a candidato? O que pensam Costa Gomes, Barreto e Armindo Vilas Boas

AvatarNuno Cerqueira  . 

maciel 1

Várias publicações nas redes sociais, nomeadamente no facebook, surgiram ao longo do dia de domingo com apoios a Alexandre Maciel como "candidato a candidato" às autárquicas pelo PS de Barcelos. 

Palavras como «Culto», «Jovem» e «Justo» surgiram em vários perfis, com textos de incentivo a uma candidatura autárquica sublinhando «capacidades de gestão».

Ora, este jornal procurou obter reações junto do líder da Federação Socialista de Braga, concelhia do PS e de Armindo Vilas Boas, que surge numa publicação com "fiel" companheiro de Alexandre Maciel.

Joaquim Barreto, questionado por este jornal, referiu desconhecer o teor dos "post", mas frisou que «compete aos camaradas de Barcelos decidir sobre candidaturas», rematando o comentário com «pois nisso não me meto».

Já Miguel Costa Gomes, líder da concelhia de Barcelos, também abordado por este jorna, começou por sublinhar «as regras» dos órgãos internos do partido.

«É natural surgir o nome de Alexandre Maciel. Ele sempre manifestou vontade. Agora, há regras estatutariamente definidas. Todas pessoas têm o direito a pensar se querem ser candidatos ou não . Podem existir outras para além do Alexandre Maciel», destacou.

Quanto ao espaço temporal para decisões de candidatos, Miguel Costa Gomes referiu que «o partido recomenda que estas questões estejam resolvidas até ao final do ano», mas o covid-19 tem complicado o campo político interno.

«Neste momento a situação não tem sido fácil face à pandemia, pois não tem permitido encontros. É preciso organizar uma comissão política. Temos que ver como vai ser organizada e refletir para não sermos irresponsáveis. Apesar de ser recomendável a decisão ser tomada até ao final do ano, também não é imperativo o fazer até ao fim do ano», destacou.

Miguel Costa Gomes revela ainda que este é tempo de «unidade» e que já transmitiu esse pensamento ao líder da Federação Socialista de Braga.

«Já transmiti que gostava que as regras fossem cumpridas de uma forma sã. Gostava que os estatutos e regras fossem respeitados, porque se formos com divisões, não vamos a lado nenhum. Estamos em mudança de ciclo e das duas uma: ou olhamos para o interesse coletivo, e comum, dos barcelenses, ou, senão, se olharmos ao ego e ambição pessoal, não estamos no caminho certo», deu nota.

Já Armindo Vilas Boas, próximo de Maciel e que foi derrotada nas eleições da concelhia socialista de Barcelos precisamente por Miguel Costa Gomes, também utiliza a palavra «unidade» quando olha para uma candidatura autárquica.

«O Alexandre Maciel é um candidato a candidato. Mas há um processo de escolha que passa por vários tramites: concelhia, federação e nacional. Neste momento eu acho que está haver uma sintonia entre estes três órgãos. Isto é o processo oficial. Agora, as pessoas podem fazer o seu jogo democrático e é o que o Maciel faz. Neste momento haverá certamente uma unidade do partido», frisou Armindo Vilas Boas.

Mas este socialista até vai mais longe. Vilas Boas defende que o partido tem que ir buscar unidade também aos independentes. 

«Isso é que é uma verdadeira estratégia de unidade para Barcelos. Devemos ir buscar, para além do BTF, trazer a si as juntas independentes», destacou, sublinhando que será normal no PS surgirem outros candidatos.

«Somos um partido democrático. Haverá ideias diferentes e pessoas diferentes. É o jogo democrático e transparente, salutar e uma tradição no PS. Mas depois haverá de certeza unidade», vaticinou.


Também pode gostar