Acusados de burla informática após tirarem dinheiro de conta de um banco de Esposende

AvatarRedação , 20 de outubro, 2020

montepio atm

O Ministério Público (MP) acusa quatro arguidos de burla informática após tirarem 2898 euros de conta bancária a cliente do Montepio de Esposende.

O alegado crime remonta aos dias 8 e 9 de janeiro de 2016. O MP fala em crimes de acesso ilegítimo e burla informática.

Segundo a Procuradoria Geral da República do Porto, e em nota publicada na sua página, dois dos arguidos estão indiciados de acederam aos dados necessários para o acesso e movimentação, através de homebanking, das contas bancárias de uma cliente do Montepio Geral.

«Os arguidos terão acedido, nomeadamente, ao número de utilizador, palavra-passe e dados do cartão matriz», confirma a MP, referindo que a titular da conta foi «induzida à inserção daqueles dados» num falso site do Montepio Geral, criado pelos arguidos.

Ora, na posse dos dados o indivíduos acederam às contas da referida cliente e movimentaram-nas, transferindo as quantias nelas depositadas para outras contas tituladas pelos outros dois arguidos.

«Apoderaram-se da quantia de 2898 euros», frisa o MP, acrescentando que posteriormente os arguidos repartiram o dinheiro entre eles «conforme combinado entre todos».

O que é o Phishing? O phishing é um dos golpes mais antigos e conhecidos da internet. Podemos definir phishing como qualquer tipo de fraude por meios de telecomunicação, que usa truques de engenharia social para obter dados privados das vítimas.

 


Também pode gostar