Jornais do século XIX e XX de Barcelos e Esposende em biblioteca digital da CIM

AvatarRedação , 22 de maio, 2021

IMG 20190911 160911

A Comunidade Intermunicipal do Cávado (CIM) está a criar uma biblioteca digital, a ser lançada em breve, que pretende "espelhar" o Minho e "estimular a partilha" de documentos "que retratem a paisagem humana" da região, foi hoje adiantado.

Em comunicado, aquela CIM, que junta os concelhos de Amares, Braga, Barcelos, Esposende, Terras de Bouro e Vila Verde, refere que a AquaLibri quer ser um "grande repositório de documentação regional, espelhando os municípios do Cávado nas suas várias vertentes, desde a histórica e patrimonial, à natural, geográfica e física, da sociedade e cultura material à cultura imaterial".

O projeto conta com contributos das bibliotecas de cada município que "têm a singularidade de se referirem ao Minho, serem raras e valiosas e o acesso público ser difícil pelo que, com o projeto agora em curso, ficarão a fazer parte da memória pública da região".

De Barcelos, uma "valiosa coleção" de jornais do século XIX, como O Ecco de Barcellos (1860), o Barcelense (1873), a Folha da Manhã (1879) e O Commercio de Barcellos (1890), e ainda um conjunto de monografias que integram o valioso espólio da Barceliana, num total de 16.800 páginas digitalizadas.

Esposende partilha várias coleções de jornais locais, como o Brisa do Mar, o Jornal de Esposende ou o Farol de Esposende, e a Revista do Minho para o Estudo das Tradições Populares, dirigida por José da Silva Vieira, editada em Barcelos e Esposende (1885).


Também pode gostar