×
received_165083675377874.jpeg

CHEGA formaliza concelhia em Esposende e Marcelino Cunha é o líder

Redação - 23 de fevereiro, 2021

Marcelino Cunha é o líder da recém formada concelhia do CHEGA de Esposende. Este empresário aponta já trabalho às autárquicas, depois de um resultado que considera «positivo» do partido no concelho da foz do Cávado nas eleições presidenciais.

Este empresário, e no que diz respeito a Esposende, pretende «combater os vícios instalados no poder local».

«Queremos transformar Esposende centro de desenvolvimento económico e num bom exemplo social. Este é o território com potencial enorme e autarquia não pode continuar de costas voltadas para a maioria dos empresários e investidores. Esposende é de todos e não só de alguns. Temos perdido investimentos e outros a deslocarem-se para concelhos vizinhos», destaca.

Marcelino Cunha afirma ainda que as desigualdades sociais não podem continuar, num concelho com graves carências.

«Esposende não é uma Marginal e uma letras amarelas. Esposende é um todo e tem que existir coesão territorial. Apúlia, Fão, Forjães, Antas, são alguns exemplos de territórios abandonados e não podemos disfarçar o que não fazemos anunciando um multibanco numa freguesia qualquer, como se isso trouxesse fixação de pessoas, emprego e cultura», apontou.

O CHEGA pretende ainda fazer «um levantamento exaustivo e real, em todas as áreas de intervenção do poder local e apresentar medidas e soluções para o seu dinamismo ou criação».

«Rever todos as dependências económicas e financeiras da autarquia e descentralizar o poder», exemplifica.

Olhando às base do partido em Esposende, é possível perceber  que na Comissão Política estão ainda, como vice-presidente, Paulo Martins e Manuel Pereira. Na "Mesa" da concelhia o presidente é António Roxo e o vice-presidente Lourenço Carneiro

O CHEGA quer ainda apresentar lista a todos os órgãos autárquicos.

 

  • PARTILHAR