×
received_165083675377874.jpeg

Covid-19: Vacinação nos lares de Esposende e Barcelos começa na próxima semana

Nuno Cerqueira - 30 de dezembro, 2021

A vacinação contra a covid-19 nos lares de idosos vai arrancar na próxima semana nos concelhos de Barcelos e Esposende.

Fonte do ACES Cávado III de Barcelos / Esposende confirmou que o plano prevê que os primeiros lares recebam já a vacina na próxima terça-feira, num processo que demorará três dias e que vai abranger cerca de 900 pessoas entre funcionários e utentes. 

«Depois será a vez dos centros de dia», confirmou a mesma fonte a este jornal, não avançando com datas, mas referindo que será também em janeiro.

Os concelhos de Esposende e Barcelos fazem parte dos 25 Municípios que estão num nível prioritário face ao risco extremamente elevado. No total foram identificadas 150 estruturas, anunciou a ministra da Saúde.

Marta Temido explicou que a prioridade de vacinação contra a covid-19 nos lares de idosos e unidades de cuidados continuados integrados foi definida com base no mapa de risco.

A partir de 11 de janeiro, a vacinação avança para os lares de idosos dos restantes concelhos.

 

O E24 contactou algumas instituições com lares e centros de dia de Esposende. Em declarações a este jornal, a provedora da Santa Casa de Fão, Raquel Vale, confirmou o contacto do ACES Cávado III e referiu que «já foi mandada a informação de todo pessoal e utentes do hospital, lares e centro de dia», confirmou, havendo apenas a dúvida se a vacinação vai já abranger o lar devido a estarem na reta final do isolamento face ao surto covid-19 que afetou o lar.

Já no âmbito dos centros de dia, o presidente da direção do ASCRA de Apúlia confirmou o contacto das autoridades de saúde.

«Temos a sensação que as coisas estão a ser preparadas. Em certa forma tranquiliza, mas temos que continuar atentos e não dar margem a facilidades», referiu Carlos Abreu.

Também o presidente da direção do Centro de Intervenção Cultural e Social (CICS) de Palmeira de Faro, Rui Filipe, confirmou contactos e referiu que no caso do CICS são cerca de 30 pessoas, entre utentes e colaboradores que vão ser abrangidos pela vacinação.

«Sabemos que primeiro vão ser os lares e depois os centro de dia. Já nos pediram a relação das pessoas. Sem dúvida que é uma luz ao fundo do túnel. Mas até lá, e bem para lá da vacinação, temos que continuar vigilantes, com os planos de contingência em vigor a funcionar. A vacina é uma boa notícia, mas não vamos facilitar», frisou Rui Filipe.

 

 

  • PARTILHAR