Esposende: Benjamim "patrocina" governabilidade de Fão e Apúlia em reunião denunciada pelo PS

AvatarRedação , 23 de novembro, 2021

260673506 4514044342010368 4409226350814191769 n

O presidente da Câmara de Esposende, e também líder do PSD de Esposende, Benjamim Pereira, anunciou hoje nas redes sociais um acordo de governação para a UF de Fão e Apúlia.

O edil de Esposende publicou mesmo uma foto com o momento que permitiu as bases para a Assembleia de Freguesia instalar os Órgãos Autárquicos desta freguesia.

«Tive o privilégio de ter sentados à mesma mesa os cidadãos que encabeçaram as duas listas à freguesia e de ajudar a que se chegasse a um consenso. Depois de esgrimidos os argumentos de ambos foi possível fechar um acordo de governação que considero que reflete e representa a vontade das populações e que, acima de tudo, dignifica aqueles que o subscreveram», referiu Benjamim Pereira, acrescentando que ficara assim «salvaguardados os superiores interesses dos apulienses e fangueiros, ultrapassando-se as divergências ideológicas e programáticas».

«Esta foi com toda a certeza a melhor prenda de aniversário que me poderiam ter dado. Estão assim criadas as condições para que se possa implementar um verdadeiro projeto de desenvolvimento para estas duas vilas», destacou.

Ora, o Partido Socialista (PS) de Esposende viu, leu e reclamou.

Segundo Tito Evangelista e Sá, presidente da comissão que gere o PS de Esposende, lamenta o local da reunião partidária com o presidente do PSD, Benjamim Pereira, pois segundo os socialistas «foram utilizados meios do Município para fins pessoais e partidários».

«Uma fotografia vale mais do que mil palavras. O PSD e a LIPAF chegaram a acordo para formarem o executivo da UF de Apúlia e Fão. A reunião partidária com o presidente do PSD de Esposende, Benjamim Pereira, não foi feita na sede do partido, nem sequer foi feita nas sedes das juntas de Apúlia ou de Fão, foi feita no gabinete do presidente da câmara, o que diz bem do uso que fazem dos bens municipais para fins pessoais e partidários, e o despudor com que o exibem», denuncia Tito Evangelista e Sá.

Aliás, o líder do PS de Esposende frisa ainda que o acordo foi feito «sabe-se lá a troco de quê».

«Todas as objecções que a Lipaf colocou anteriormente, quando votou várias vezes contra os nomes propostos para o executivo da Junta, foram ultrapassadas a troco de sabe-se lá o quê, para apoiar agora o que repetidamente tinha rejeitado. O PS será a oposição, a única que resta, responsável e firme ao executivo, empenhado na defesa dos seus princípios e valores, sempre ao lado dos interesses dos apulienses e fangueiros, como verdadeira e única alternativa ao PSD», vaticina.


Também pode gostar