Esposende: Candidato do PSD Benjamim Pereira em entrevista

AvatarRedação , 24 de setembro, 2021

psd bp 23

O jornal Farol de Esposende realizou um conjunto de entrevistas aos candidatos à Câmara de Esposende nestas autárquicas de 2021 e que se realizam no próximo dia 26 de setembro. As perguntas foram iguais para todos os candidatos, com indicação da direção do jornal de que as respostas não deveriam extrapolar informações que fossem para além do conteúdo de cada pergunta. Assim, em parceria com o E24, o Farol de Esposende publica o que cada candidato pensa sobre as questões colocadas. Desta forma, entendemos que prestamos a todos um serviço de informação útil, cumprindo, assim, um dos objetivos do jornal, no âmbito do seu estatuto editorial. Por sorteio, a ordem de publicação será candidatura do PS, CDS-PP, CDU, Chega e PSD-PPD, sendo que as publicações vão ser realizadas até sexta-feira.

Farol de Esposende (FE) – Qual a principal motivação que serviu de impulso para ser cabeça de Lista para o Executivo da Câmara Municipal de Esposende, do Partido pelo qual concorre às autárquicas de 2021?

Benjamim Pereira (BP) – Este ato eleitoral corporiza o final de um ciclo político que iniciei em 2013, onde me apre- sentei com um projeto centrado nas pessoas e na ambição de criar melhores condições de vida a todos os Munícipes do nosso concelho. Um projeto ambicioso, ao qual dei continuidade em 2017, por vontade da esmagadora maioria dos Esposendenses, capaz de projetar o concelho para o futuro, sem esquecer as nossas raízes e a nossa história. Nunca me passou pela cabeça o que veio a acontecer durante o mandato que agora termina, com a chegada da Pandemia, que obrigou a redefinir estratégias e prioridades, assegurando em todo o tempo, as condições de saúde da nossa população e as condições de sustentabilidade das nossas empresas. Apesar de tudo o que conquistamos ao longo dos últimos anos, sinto que a pandemia nos impediu de ir mais além e por isso, quero fechar o meu ciclo político enquanto Presidente da Câmara Municipal de Esposende, cumprindo todos os compromissos que assumi com cada um dos Esposendenses. Isto, associado ao meu amor incondicional pela nossa terra é motivação bastante para me apresentar novamente a eleições. Estou certo de que, apesar dos constrangimentos, não deixamos de preparar o futuro, materializando grandes Projetos Estruturantes e investindo no que mais importa, que são as pessoas. Apresento-me, hoje, novamente a eleições ainda mais bem preparado e com a consciência tranquila de quem defendeu o seu município e as suas gentes com toda a sua força e convicção, e julgo ter dignificado o cargo que ocupo e a política em geral, não cedendo à demagogia e ao populismo das oposições, muito menos aos ataques constantes que me foram dirigidos, mantendo sempre, o respeito e a elevação. Tenho orgulho em liderar um projeto ambicioso, acompanhado por uma equipa fantástica, na Câmara Municipal, na Assembleia Municipal e em todas a Freguesias. Um projeto com os olhos postos no futuro, que defende o interesse de todos e não os interesses particulares. Um projeto que continuará a mudar para melhor o concelho de Esposende e que assenta na valorização das PESSOAS, na SUSTENTABILIDADE e no DESENVOLVIMENTO.
Acredito que o exigente momento que vivemos não é o tempo de fazer experiências, mas sim o tempo da confiança e da estabilidade.

F.E. – Se, após o sufrágio eleitoral, resultar a sua eleição para Presidente da Câmara, atendendo a que será para exercer funções num horizonte de quatro anos, quais os dois primeiros grandes investimentos que promoverá, para contribuir decisivamente para o desenvolvimento do concelho de Esposende?

B.P. – Como referi na questão anterior, apesar da situação pandémica vivida, não deixamos de preparar o futuro, materializando grandes Projetos Estruturantes. Deles damos nota no nosso manifesto eleitoral, particular- mente de 20, que pela sua dimensão e relevância, representam um compromisso, para além de um só mandato. Projetos como o Ensino Superior em Esposende, que apesar de ter início já este ano letivo, terá uma evolução desejável nos próximos anos, projetos de Investigação de reconhecimento internacional, no Forte de S. João Batista e na Estação Rádio Naval de Apúlia, o Parque da Cidade, com a concretização da primeira fase já este mandato, a conclusão das ecovias e a criação das ciclovias intraurbanas, a resolução dos problemas urbanísticos em Pedrinhas, Cedovém, com a requalificação de toda esta área, a expansão das nossas zonas industriais para a captação de novos investimentos, a construção de um Pavilhão Multiusos e da Zona Desportiva Norte, entre outros de igual relevância, que, com toda a certeza, transformarão definitivamente o nosso município. Isto sem jamais esquecer outros importantes projetos, a executar em todas as freguesias e que melhorarão a vida dos nossos concidadãos.

F.E. – Tendo em conta o património imobiliário propriedade do Município de Esposende, presen- temente sem utilização rentável que satisfaça, que destino dará, no mais curto espaço de tempo, às insta- lações do Forte de S. João Batista; da Estação Radio- naval de Apúlia; do prédio junto à Praia de Apúlia, denominado “edifício Pérola”

B.J. – Dar nota que não foi por acaso que o Município de Esposende procedeu à aquisição dos imóveis referidos. É por demais conhecida a vontade antiga de todos os Espo- sendenses na aquisição dos mesmos, conseguida fruto de muita persistência e dedicação deste executivo e minha em particular. Edifícios abandonados pelo Estado e nos quais o Município viu oportunidade de garantir que os mesmos ficassem ao serviço da população, nomeadamente com a instalação do Instituto Multidisciplinar de Ciência e Tecnologia Marinha, a funcionar nas antigas instalações da Estação Radio Naval de Apúlia, com a instalação de um polo da Universidade do Minho e o Centro de Divulgação Científica de Atividades Marinhas, a instalar no Forte de S. João Baptista, em parceria com a Universidade do Minho e com ICNF. Relativamente ao edifício do Pérola, e tal como me comprometi com os Apulienses, decidiremos em conjunto, qual a utilização a darmos ao edifício, através de uma discussão pública, na certeza, porém, de que o mesmo representará uma mais-valia para a Vila de Apúlia. Não deixo, contudo, de registar, que, apesar do abandono a que foram sujeitos esses edifícios, ao longo de muitos anos, por responsabilidade do estado, agora que existem projetos para os mesmos, devidamente estruturados e pensados, é o Município alvo das mais injustas críticas sobre o seu estado de conservação por parte daqueles que, estranhamente, estiveram calados até agora. O que importa para nós é o presente, na certeza de que o futuro nos dará razão. Mas quanto ao restante património, muito haveria para dizer.

F.E. – De entre as que enumeramos, indique duas áreas onde é imperioso agir de imediato, a bem do concelho, e como pensa que serão feitas, em cada uma, as ações a desenvolver: indústria; comércio; agricultura; pesca; artes; cultura; educação/ensino; turismo, serviços.

B.P. – Todas são importantes e todas necessitam da intervenção cuidada do Município. O nosso trabalho ao longo dos últimos anos, bem como o manifesto eleitoral que nos prepararmos para apresentar e que representa as nossas intenções para o futuro são provas mais que válidas do que acabo de referir. Posto isto, não me parece intelectualmente correto e justo diferenciar qualquer uma delas muito menos indicar. O desenvolvimento harmonioso
e sustentável, bem como a coesão territorial só são possíveis com a conjugação simultânea de todas estas áreas, mormente atendendo às características do nosso território. Aconselho todos a lerem o nosso manifesto eleitoral onde constam as nossas intenções para todas estas áreas. A sua concretização será a continuação do impulso que estamos a dar na transformação do nosso Concelho, num local bom para viver, visitar e para investir, na certeza de que os próximos quatro anos serão de um desenvolvimento nunca visto do nosso território.

F.E. – Que se lhe oferece dizer sobre a anunciada instalação do Ensino Universitário em Esposende, nomeadamente efeitos no binómio custos/benefícios, relevando possíveis consequências para o desenvolvi- mento económico do concelho?

B.P – Como já tive oportunidade de o dizer, pretendo continuar a mudar para melhor o concelho de Esposende, com um projeto assente na valorização das PESSOAS, na SUSTENTABILIDADE e no DESENVOLVIMENTO. O Ensino Superior, no Concelho de Esposende, é um sonho antigo, que veremos concretizado já este ano letivo. O sonho de ver concretizada a possibilidade de ter os jovens da nossa terra a frequentar o ensino superior, independentemente da sua condição económica é, sem dúvida, um dos projetos mais relevantes para o nosso concelho. Estou certo de que o Laboratório de Inovação e Sustentabilidade Alimentar do IPCA e o Instituto Multidisciplinar de Ciência e Tecnologia Marinha, da Universidade do Minho, para além de serem investimentos muito significativos, são projetos estruturantes que mudarão para sempre a nossa cidade e o nosso município, criando novas dinâmicas e novas oportunidades para todos, nomeadamente para aqueles que queiram investir na sua formação e para os demais setores de atividade que beneficiarão destas dinâmicas associadas há vinda do ensino superior. Neste momento, podemos falar com assertividade na criação de um Pólo da Universidade do Minho, em Apúlia, e de uma Escola do IPCA, em Esposende.Tendo isto presente, e sendo esta uma obrigação dos municípios, não tenho a  menor dúvida do benefício que representa a chegada do ensino superior ao nosso concelho e arrisco dizer que aqueles que estiverem de boa-fé, com seriedade intelectual, comigo concordarão.

F.E. – Se após o sufrágio do dia 26 de setembro próximo, o seu nome não for sufragado democraticamente para presidir à Câmara Municipal de Esposende, que tenciona fazer sob o ponto de vista político?

B.P. – O trabalho realizado ao longo dos últimos anos, permite-me encarar com humildade e confiança o próximo ato eleitoral. Estou certo que as pessoas da nossa terra saberão, mais uma vez, escolher bem aqueles que pretendem ver a dirigir os destinos do nosso concelho. Acredito voltar a ser merecedor da confiança dos nossos concidadãos, na certeza de que honrarei essa confiança, trabalhando com seriedade, dedicação e responsabilidade, do primeiro ao último dia, como sempre fiz até hoje.


Também pode gostar