Esposende: CHEGA quer transformar Zona Industrial em "Retail" com espaços verdes, lazer e mobilidade suave

AvatarRedação , 27 de outubro, 2021

Captura de ecra 2021 10 27 as 00.28.47

O partido CHEGA de Esposende veio hoje a público sugerir "um rumo" à denominada Zona Industrial de Bouro entre Gandra e Marinhas no concelho de Esposende.

Depois de ter visto notícias dando conta da instalação provisória do IPCA na referida zona industrial, o CHEGA questiona o executivo do Município de Esposende se o local não se está «a configurar-se em algo, para o qual não foi pensada?».

«Se a escolha do local terá sido a mais acertada? Como se vão deslocar os estudantes dos referidos cursos? Neste sentido, e visto que tudo que se cria, acaba por lá. Será sensato que acreditando que a zona industrial de Esposende, é tudo menos uma zona industrial. O CHEGA sugere que a mesma passe a adotar a configuração de um “Retail”. Com a criação de zonas verdes, zonas de lazer, passeios largos, estacionamentos mais amplos e mobilidade suave», afirma Paulo Martins, vice-presidente do CHEGA de Esposende, em nota de imprensa.

Paulo Martins afirma mantém dúvidas quanto aos dois primeiros cursos que ali vão ser lecionados.

«Muito direcionados a curto prazo para o mercado de trabalho. O CHEGA questiona, qual será o nível de empregabilidade destes estudantes no mercado local? Onde estão as empresas de turismo em Esposende, para absorver estes estudantes? Com os alojamentos locais a nascer um pouco por toda a cidade, com sistemas “Key & Go”, para que queremos nós este tipo de profissionais?», questiona.

Na perspetiva do CHEGA de Esposende, o Ensino Superior no concelho da Foz do Cávado, «deverá ser estudada em função do tecido empresarial, e muito da dinamização e criação da indústria do agroalimentar e economia azul».

«Esposende não pode e não deve viver do turismo sazonal», frisa o vice-presidente do CHEGA de Esposende.

 


Também pode gostar