«Esposende gastou 1ME no combate à pandemia? Isso é falso», diz Tito Evangelista

AvatarNuno Cerqueira, 30 de janeiro, 2021

Tito 1

O Partido Socialista (PS) de Esposende veio a público afirmar que «é falso» que a autarquia de Esposende tenha gasto um milhão de euros com a pandemia e repudia tal afirmação.

Para Tito Evangelista, líder da concelhia socialista, o presidente da Câmara de Esposende tem tido «um comportamento desastroso no que à pandemia diz respeito».

«Desde o patrocínio e participação numa prova de hipismo transmitida em direto na televisão, cheia de público na assistência, sem autorização e contra as indicações da Direção Geral de Saúde, até à patética inauguração de uma tenda para testes à covid-19 no recinto da Feira de Esposende, com corte de “fita” incluído, como se fosse uma festa, quando há dois meses o concelho está no topo dos concelhos com maior percentagem de infetados nos distrito e na região, e onde já morreram dezenas de conterrâneos nossos, demonstra que temos um presidente da Câmara sem noção dos deveres e da responsabilidade das suas funções», afirma Tito Evangelista.

O líder do PS de Esposende diz que «a Câmara nada fez» para apoiar a população e que a notícia é «teatral» e «falsa».

Tito Evangelista desafia mesmo o social democrata Benjamim Pereira para um debate «sobre a gestão da pandemia no concelho de Esposende, debate esse a ser transmitido em direto pela internet, e moderado por jornalistas».

«Se o presidente da Câmara se acha seguro do que diz, então aceite debater publicamente com o presidente do PS de Esposende, e não venha fugir alegando que o poderá fazer na Assembleia Municipal, pois aí o presidente da Câmara tem quatro vezes mais tempo para falar do que o PS, tem sempre direito à última palavra, a Assembleia é arbitrada pelo PSD que impede a divulgação pública em direto, ou diferido, de som ou imagem, para que os esposendenses não tenham noção do que lá se passa e da incompetência do presidente da Câmara», frisa.

«Senhor presidente da Câmara de Esposende, por uma vez não fuja a um debate público entre o presidente da Câmara e o líder do maior partido da oposição, coisa que nem nas campanhas eleitorais aceitou fazer, impedindo o povo de formar conscientemente opinião como acontece em todas as sociedades democráticas em Portugal e no mundo», lê-se ainda no comunicado do PS.


Também pode gostar