Esposende: Cover de músico de Apúlia surpreendeu o mundo e valeu prémio de 50 mil dólares

AvatarPedro Gomes , 13 de outubro, 2021

Nuno

Foi através de um «tropeção num anúncio de publicidade» que valeu a Nuno Casais o ponto alto da carreira. O músico, natural de Esposende, nomeadamente de Apúlia, venceu um concurso de covers organizado pela banda internacional Imagine Dragons que lhe valeu 50 mil dólares (cerca de 43 mil euros).

Foi com o cover da música «Wrecked», música do mais recente álbum (Mercury-Act1) da banda americana, que Nuno venceu o concurso.

Em declarações ao E24, o músico esposendense não escondeu a felicidade, mas confessou que «o verdadeiro prémio foi tudo o que recebi por causa de tudo isto… o reconhecimento.»

As expetativas não eram as mais altas (concorreu com mais de 100 pessoas de todos os cantos do mundo) e a participação no concurso acabou por se revelar um acaso.

«Nunca sonhei nada mais do que o que tinha quando entrei: nada. A minha versão já tinha sido publicada dois meses antes no meu canal do YouTube, muitos antes de qualquer anúncio do concurso. Um dia, no início de Setembro, “tropecei” numa publicidade sobre o concurso, e resolvi participar. Sem expectativas, sem estar a contar que nada de extraordinário fosse acontecer. O facto é que não me deu trabalho nenhum em participar, pois usei a versão integral e original, gravada ao vivo do Youtube», revelou. 

A luta foi diária e o reconhecimento chegou após 30 anos de carreira. Nem sempre foi fácil e a pandemia acabou por lhe tirar o palco. Por outro lado, quando se fecha uma porta, abre-se uma janela e foi desta forma que Nuno Casais encarou esta nova realidade.

«Este é o ponto alto em 30 anos de estrada. Tenho o grande defeito de ser sempre o último a acreditar mim, mas contudo, também reconheço que lutei muito para conseguir chegar até aqui, sem nunca equacionar atirar a toalha ao chão. Com a chegada da pandemia fui colocado à prova. Fui resiliente, reinventei o meu trabalho e tornei-me Livestreamer e YouTuber. Consegui monetizar o meu canal em menos nesse ano e meio de provação. Aprendi que no meio do caos podem existir coisas boas. Vivi momentos maus em termos psicológicos, mas, no fim de contas, estou aqui, não desisti, e o universo ofereceu-me tudo aquilo pelo qual lutei», disse o músico,

Sobre o futuro, Nuno não tem grandes planos, mas admitiu que pretende continuar com os covers e terminar o seu segundo disco, denominado de Origami. Além disto, o músico indicou onde pretender investir o dinheiro ganho. 

«De mim podem esperar exatamente aquilo que fui até hoje. Nem mais, nem menos. Tenho trabalho original e já o tinha anteriormente… sempre trabalhei com versões e nunca escondi a minha paixão por elas. Afinal, os covers pagaram-me as contas ao longo destes anos, portanto é impossível fugir só que somos. Pretendo terminar o meu segundo disco, no qual já tinha começado a trabalhar em 2017, Origami. Não sou de fazer muitos planos. O que tiver que ser, será! O dinheiro irá ser usado nos estudos na minha filha e renovação de equipamento do meu estúdio, basicamente», disse. 

 


Também pode gostar