Esposende: Paulo Campos é o novo comandante da GNR

AvatarNuno Cerqueira, 30 de julho, 2021

Paulo Campos GNR 6

Chama-se Paulo José Farinha de Campos e é o novo comandante dos posto territorial de Esposende da Guarda Nacional Republicana (GNR), onde, curiosamente, começou o serviço nesta força militar depois de se tornar soldado.

«Após a promoção ao posto de Soldado, fui estagiar, em janeiro de 1998, para o Posto Territorial de Esposende, onde estive três meses», revela Paulo Campos, militar com 46 anos de idade e que ocupa o posto de Sargento Ajudante.

«Eu encaro esta nova missão como mais um desafio na minha caminhada e na minha vida e com um objetivo bem definido: continuar a trabalhar arduamente para satisfazer da melhor forma a população do concelho de Esposende e garantir a segurança e tranquilidade de todos», revela, dando conta que encara ainda esta missão como «um desafio».

«Sou uma pessoa que gosta de desafios e de novos estímulos profissionais, encarando-os sempre de forma positiva e pretendendo sempre um enriquecimento pessoal e profissional», afirma ainda Paulo Campos em conversa com este jornal o comandante que veio do posto territorial da GNR das Taipas, concelho de Guimarães, substituindo Rui Caseiro que rumou para Matosinhos para comandar o posto local.

Com passagens pelos postos da GNR Barcelos, Ovar e Taipas, Paulo Campos esteve em missão no estrangeiro, nomeadamente na Grécia, no ano de 2020 no âmbito da Agência Europeia da Guarda de Fronteiras e Costeira (FRONTEX) por um período de três meses.

Depois de ter pisado há 24 anos o quartel da GNR de Esposende como estagiário, este Sargento-Ajudante vai comandar o posto numa fase complexa da sociedade.

«Pela qual todos nós estamos a ultrapassar. As minhas palavras para o povo esposendense vão no sentido de lhe transmitir tranquilidade e esperança no dia de amanhã. Colocando de parte toda esta situação pandémica, queria ainda acrescentar que estarei sempre disponível para todas as adversidades que forem surgindo, tentando resolvê-las da melhor forma possível», vaticina Paulo Campos.


Também pode gostar