Esposende: Peixoto quer fazer "regressar" o PS

AvatarNuno Cerqueira, 21 de julho, 2021

Fao 45 26

É oficial e fez-lo em declarações aos órgãos nacionais de comunicação social. Luís Peixoto é candidato à Câmara de Esposende, isto depois de ter abandonado os órgãos do PS local, por causa do Governo de António Costa que não aprovou a "desagregação" das freguesias.

Depois da filha ter assumido candidatura ao lugar do pai à UF de Apúlia e Fão - Luís Peixoto é o líder da autarquia da UF a sul do rio Cávado há 12 anos - o socialista tem agora como objetivo de “fazer o PS regressar” ao executivo municipal, prometendo “ideias novas, políticas inovadoras, proximidade e decisões”.

Luís Peixoto aponta o dedo ao atual presidente da autarquia, Benjamim Pereira (PSD), acusando-o de “não atender o telefone, não responder a missivas” e de ter “concentrado nele todas as decisões” e quer “mais atenção” às juntas de freguesia.

Nas autárquicas de 2017, o PSD teve 60,45% dos votos, elegendo seis vereadores, e o movimento Juntos Pela Nossa Terra alcançou 19%, o que lhe deu um vereador. O PS obteve 9,73%, o CDS-PP 3,71% e o PCP-PEV 3,54%, sendo que nenhum destes partidos conseguiu um lugar no executivo municipal.

Às eleições de dia 26 de setembro concorrem Benjamim Pereira (PSD), Luís Peixoto (PS), Isabel Novais (CDU), José Areia de Carvalho (CDS-PP) e Paulo Martins (Chega).

 


Também pode gostar