Esposende: PS retira confiança política a Eduardo Maia

AvatarRedação  . 

autarcas 82

A comissão administrativa da concelhia de Esposende do Partido Socialista (PS), deliberou, por unanimidade, retirar a confiança política ao presidente da Junta de Gemeses, Eduardo Maia, eleito nas listas do PS.

«O mesmo deixou de ter condições para exercer funções de presidente de junta», frisa o PS numa nota assinada pela comissão administrativa dos socialistas esposendenses, mas que este jornal já havia dado nota da insatisfação na altura dos factos.

Ora, na base desta decisão está o facto do PS não ter gostado de ver Eduardo Maia numa conferência de imprensa de autarcas a dar apoio a uma candidatura de Benjamim Pereira à Câmara.

«Na verdade, resolveu em conjunto com outros presidentes de junta do PSD, ou falsos independentes, que não passam de meros acessórios do mesmo partido, participar numa reunião encenada a apelar à candidatura de Benjamim Pereira à Câmara de Esposende, candidatura essa há muito conhecida e anunciada.  O comportamento do referido Eduardo Maia é inaceitável do ponto de vista ético, porque nunca deu qualquer explicação ao PS, nem deu qualquer indicação de ter simpatia por Benjamim Pereira, pelo contrário, internamente era um forte crítico do desempenho do presidente da Câmara», lê-se na nota de imprensa enviada a este jornal.

Os socialistas afirmam mesmo que «nos oito anos que Eduardo Maia levava como presidente da junta de Gemeses, eleito pelo PS, a Câmara não executou na freguesia de Gemeses qualquer obra relevante, aliás, como não executou em qualquer outra freguesia do concelho, que justificasse o apelo para que o pior presidente da Câmara de que há memória, Benjamim Pereira, se recandidatasse».

«Não havendo razões políticas, nem trabalho executado, que sugerissem, ainda que hipoteticamente, um apoio de qualquer presidente de junta à recandidatura de Benjamim Pereira, no caso, o desleal comportamento de Eduardo Maia, ainda é mais escandaloso», frisa o PS de Esposende, que diz ter sido «apanhado de surpresa»

«Uma vez que o presidente de Junta em causa, não teve uma única palavra, uma satisfação, ou uma explicação, para tão inqualificável comportamento. As pessoas são livres de tomarem as decisões que entenderem, mas têm o dever de agir com correção, lealdade e verdade para com o partido, que sob a sua bandeira se candidataram e foram eleitas.
O PS não pactua com traições, nem prescindirá dos seus princípios e valores, pelo que, retiramos a confiança política ao presidente da junta de Gemeses, Eduardo Maia», vaticina a nota de imprensa.

 


Também pode gostar