Esposende: Rui Silva, líder da concelhia do CDS-PP, assume «derrota política que não escondemos»

AvatarPedro Gomes , 6 de outubro, 2021

WhatsApp Image 2021 10 06 at 20.33.31

No rescaldo das eleições autárquicas, o líder da concelhia do CDS-PP de Esposende, aproveitou para felicitar o PSD e, ao mesmo tempo, reconhecer a derrota e justificar os motivos que levaram aos resultados menos favoráveis. 

«É inquestionável que o PSD teve uma vitória expressiva e por larga margem, o que apenas pode significar que a população de Esposende optou por manter o rumo da governação autárquica. Por esta razão, felicitamos o PSD pela vitória eleitoral, que é incontestada e expressiva.
Tínhamos vários objetivos políticos para este ato eleitoral, sendo que a maioria dos quais conseguimos alcançar.
Porém, importa reconhecer que, por termos apresentado uma candidatura à presidência da Câmara Municipal, o facto de não termos conseguido eleger um vereador, constitui uma derrota política que não escondemos. Tínhamos ainda a ambição de conquistar uma junta de freguesia, o que apenas não conseguimos por pouco», referiu. 

Ainda assim, Rui Silva mostrou-se esperançoso em relação ao futuro, assegurando empenho nos próximos quatro anos.

«De qualquer modo, é forçoso destacar que os resultados eleitorais nos dão, ainda assim, sinais de muita esperança para o futuro. Conseguimos inverter a tendência de perda de votos que se registava no CDS desde a eleição autárquica de 2009. Em 2017 o CDS teve o seu pior resultado autárquico de sempre em Esposende, com pouco mais de 3% dos votos. Terminámos o ato eleitoral deste ano com 9,48%. Foi uma subida notável, que nos enche de motivação para continuar a trabalhar. 
Além de estes sinais nos darem muita esperança e motivação, importa assegurar a todos os esposendenses que vamos estar empenhados no serviço à população durantes estes próximos 4 anos. Os nossos autarcas vão ser servidores da causa pública e promotores do bem comum.
Estou certo que daqui a quatro anos aqueles que agora votaram no CDS não estarão arrependidos e estaremos em condições de cativar mais conterrâneos para o nosso projeto», afirmou. 

NOTA: Declarações de Rui Silva foram proferidas a este jornal no dia 29 de setembro, mas só hoje foi possível publicar. Obrigado. 


Também pode gostar