Faz hoje 50 anos que o Padre Avelino assumiu a paróquia das Marinhas

AvatarNuno Cerqueira, 2 de janeiro, 2021

avelino 1

Corria o ano de 1971, 2 de janeiro, quando o jovem Padre Avelino Marques Peres Filipe assumiu a paróquia de São Miguel das Marinhas, concelho de Esposende. Foi há 50 anos e o Papa Francisco concedeu em carta a Bênção Apostólica ao Reitor das Marinhas.

Hoje há uma cerimónia reservada, uma eucaristia solene de ação de graças às 10h00, na Igreja Matriz e condicionada à lotação daquele templo. Mas também há uma celebração e bênção dos vitrais na Capela da Senhora da Saúde, às 11h30 e reservada à família e uma representação dos órgãos paroquiais. Já amanhã realiza-se uma visita à capela da Senhora da Saúde onde será celebrada uma eucaristia que será transmitida em direto através da página facebook da paróquia.

Também ele natural da freguesia, o padre Avelino rapidamente tomou o pulso à freguesia e a partir da paróquia transformou a terra. Semeou sementes e colheu frutos para a comunidade.

«Cedo se viria a tornar numa personalidade ímpar da sociedade paroquial, arciprestal e até diocesana. Um percurso rico e marcante para tantos e tantos marinhenses. Padre de personalidade única, tornou-se popular no trato e no estilo, exemplo de fé, respeitado e admirado, não esquecendo as suas gentes, as instituições de que foi fundador e as dádivas com que contribuiu para o enriquecimento pastoral e patrimonial da sua paróquia de sempre. E se somos herdeiros dos frutos do seu múnus pastoral, também o somos dos frutos de ordem material», refere José Amorim, do conselho económico paroquial.

Disso mesmo são prova as inúmeras obras como são exemplos o carrilhão dos sinos na torre da Igreja Matriz, as obras esculturais de Nossa Senhora de Fátima e dos três Pastorinhos, a estátua de S. José e, a partir de hoje o embelezamento da Capela de Nossa Senhora da Saúde com a oferta de todos os vitrais, numa evocação dos sete sacramentos.

Ativo na sociedade civil, esteve sempre presente na Cruz Vermelha Portuguesa na delegação das Marinhas e mexeu-se no futebol, tendo hoje o nome do campo onde joga o FC Marinhas, Estádio Padre Avelino Marques Peres Filipe.

Em declarações, o padre Avelino conta um pouco do percurso que teve até ao dias de hoje nas Marinhas.

«Após oito anos, quatro meses e seis dias como Vigário Cooperador, fui nomeado pároco, sucedendo ao saudoso padre Cubelo Soares, a quem presto o meu louvor pelo testemunho que me deu e pelo que me ensinou e também agradeço ao Arcebispo Primaz, Dom Francisco Maria da Silva, que me ordenou e em mim confiou para ser vosso pároco. Passados estes 50 anos, não posso deixar de agradecer a Deus, a Nossa Senhora e a S. José, a quem recorro frequentemente, mas também a todos aqueles que ao longo deste tempo me têm ajudado», afirma.

O padre Avelino para além de recordar os que já partiram, dá nota especial à família.

«Agradeço aos meus pais e irmãos e, de modo especial, à minha irmã Carolina que está comigo há 50 anos, no serviço pessoal e paroquial», confirma, alimentando ainda outra pessoa que o marcou e que partiu há três meses, alguém que «ofereceu seu sofrimento para ajudar a mim e a todos vós».

«Faço referência a uma paroquiana que o Senhor escolheu para ser minha samaritana e há três meses “partiu” para a casa do Pai, a saudosa e amiga Leonor! Eu cheguei à paróquia no dia 26 de agosto de 1962 e no dia 11 de dezembro de 1962, a Leonor ficou paraplégica, num acidente que aconteceu no Monte da Senhora da Paz. Desde da primeira hora que ela ofereceu o seu sofrimento e oração para me ajudar a mim e a todos vós, na nossa caminhada de santidade. Várias vezes ela me confidenciou que aceitou de boa vontade o que lhe aconteceu porque notou que o Senhor queria servir-se dela para o que acabo de dizer. Obrigado Leonor e, agora que deves estar mais perto do Pai, pede-lhe para um dia nos encontrarmos todos com Ele, para assim se eternizar a nossa amizade em felicidade», destacou.

No  entanto o padre das Marinhas lembrou ainda todos os paroquianos «pela vossa amizade, dedicação e colaboração multifacetada».

«Sem a vossa ajuda, sem a vossa oração e a vossa amizade, não seria possível fazer o que, graças a Deus, eu e vós temos feito. O Senhor vos recompensará!», disse, destacando ainda que a cerimónia da capela da Senhora da Saúde em Outeiro é de agradecimento.

«De modo muito particular - neste tempo de pandemia - a vida e a saúde que felizmente todos gozamos e pedir-lhe que nos ajude, curando os doentes e protegendo os que estão sãos para que uma nova sociedade surja para bem de todos», vaticinou.


Também pode gostar