Governo autoriza dragagem do porto de Esposende

AvatarRedação  . 

foz cavado restinga scaled

Esposende está na lista de portos que o Governo autorizou para dragagem e manutenção dos portos de pesca da região Norte, entre 2021 e 2023. São de mais de 4,1 milhões de euros, de acordo com uma resolução do Conselho de Ministros hoje publicada em Diário da República.

No documento, assinado pelo primeiro-ministro, António Costa, e datado de 25 de fevereiro, o Governo autoriza "a Direção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM) a realizar a despesa relativa ao contrato de empreitada de dragagens de manutenção dos portos de pesca do Norte para o triénio 2021-2023, até ao montante global de 4.159.348,00 euros, ao qual acresce o IVA à taxa legal em vigor".

A resolução do Conselho de Ministros hoje publicada em Diário da República (DR) refere que a "DGRM tem, assim, a competência relativa à realização de dragagens de manutenção que assegurem a navegabilidade nos portos de pesca e de náutica de recreio".

Da lista de portos a intervencionar, para além de Esposende, está o de Vila Praia de Âncora, no concelho de Caminha, bem como o da zona piscatória de Angeiras, em Matosinhos, o de Vila do Conde e o da Póvoa de Varzim.

Na resolução, o Governo determina que este ano vão ser investidos na dragagem e manutenção daqueles portos 1.254.400,00 euros, em 2022 serão aplicados 1.452.474,00 euros e em 2023 o mesmo valor do ano anterior.

Segundo o documento, "os encargos financeiros resultantes da presente resolução são satisfeitos por verbas inscritas e a inscrever no orçamento de investimento da DGRM".

"A realização de dragagens de manutenção que assegurem a navegabilidade nos portos de pesca e de náutica de recreio reveste-se da maior relevância para o Governo, atendendo à especial necessidade de assegurar as melhores condições de acesso a esses portos, salvaguardando a segurança das embarcações e respetivos tripulantes e da navegação em geral", lê-se na resolução.


Também pode gostar