×
D-IMO-BANNER.jpg

Junta oferece quadro a padre e PS de Esposende condena

Nuno Cerqueira - 5 de janeiro, 2021

A secção de Esposende do Partido Socialista manifestou «repúdio» pelo comportamento da junta da União de Freguesias de Esposende, Marinhas e Gandra, que, segundo o líder socialista Tito Evangelista, ignora a Constituição da República Portuguesa.

«Designadamente a separação entre a Igreja e o Estado. A junta encomendou, a um reconhecido artista, um quadro a óleo do pároco de Marinhas, uma das três paróquias da União de freguesias, para oferecê-lo ao mesmo. Não nos compete emitir opinião sobre a longa permanência no cargo do senhor pároco de Marinhas, tal só à Diocese de Braga, e à paróquia de Marinhas diz respeito. Mas desde a primeira República, instaurada em 1910, que existe separação legal entre a Igreja e o Estado, e não é legalmente permitido, nem moralmente admissível, gastar dinheiros públicos, provenientes dos impostos de todos, para custear exuberantes ofertas particulares, neste caso a um pároco», frisa o líder do PS de Esposende

Tito Evangelista afirma mesmo que «o senhor presidente da Junta da União de Freguesias de Esposende, Marinhas e Gandra, tem dívidas pessoais de gratidão, políticas ou outras, para com quem quer que seja, neste caso para com o senhor pároco de Marinhas, faça as ofertas pessoais que entender, mas não em nome, e muito menos com o dinheiro dos impostos dos cidadãos de Esposende, Marinhas e Gandra».

«Pois não é o dono da União de Freguesias, nem dos impostos dos cidadãos, embora confunda o dinheiro público com o seu», apontou, sublinhando ainda que «uma junta que anos a fio nada faz, que repetidamente usa como justificação a falta de disponibilidade financeira para atividades sociais, e outras, não lhe falta dinheiro para fazer ofertas legalmente proibidas e moralmente inadmissíveis, para isso não olha a meios e fundos».

«No local, e no momento certo, o senhor presidente da Junta terá de prestar contas pelo abuso cometido», vaticina Tito Evangelista.

  • PARTILHAR