Perelhal apela ao "voto nulo" ou "não votar" nas eleições de domingo

AvatarNuno Cerqueira  . 

junta perelhal

Um grupo de cidadãos de Perelhal, Barcelos, está a promover um “boicote” às eleições presidenciais de domingo, apelando ao “não voto”, em protesto contra a passagem da Linha de Muito Alta Tensão (LMAT) na freguesia.

O protesto não é novidade e já aconteceu em eleições, ora com encerramento a cadeado do local das eleições, ora com votos em branco. 

Os dinamizadores do protesto, disseram a este jornal que, no domingo, o apelo passa por não ir votar ou votar em branco para dar conta do “descontentamento” da população.

Nas eleições legislativas de outubro em 2019, o acesso ao interior da junta de freguesia, onde estava montado o local de voto, foi fechado a cadeado. Nesta freguesia, e contados os votos, registou nas legislativas 479 votos nulos, equivalentes a 48,68% dos votantes.

CRONOLOGIA dos protestos em Perelhal:

A 26 de maio de 2019 surge a primeira tarja negra a apelar ao voto nulo (ver aqui).

No dia 3 de setembro de 2019 a Câmara de Barcelos interpõe providência cautelar contra a Linha de Muito Alta Tensão (ver aqui).

No dia 22 de setembro de 2019 a freguesia sai à rua em protesto e realiza marcha entre o campo de futebol e o largo do "Alívio" (ver aqui).

No dia 6 de outubro de 2019 a Assembleia de voto na freguesia de Perelhal foi bloqueada logo às primeiras horas da manhã nas eleições legislativas (ver aqui).

"Não à linha de Muito Alta Tensão" vence eleições em Perelhal no dia 6 de outubro de 2019 (ver aqui).

A nove de abril Câmara de Barcelos perde nova batalha para travar Linha de Muito Alta Tensão (ver aqui).

A 20 de maio de 2020 Governo afirma que suspender linha de muito alta tensão contestada em Barcelos “não será opção” (ver aqui).

A 19 de julho de 2020 Perelhal faz marcha lenta na EN103-1 (ver aqui).

Protestos regressam a Perelhal com nova marcha lenta a travar EN103-1 anunciada a 4 de agosto (ver aqui).

A 6 de agosto de 2020 Supremo Tribunal Administrativo (STA) manteve o indeferimento da providência cautelar interposta pelo Município de Barcelos para travar a construção de uma Linha de Muito Alta Tensão (ver aqui) no concelho.

A 9 de agosto de 2020 Perelhal está novamente na rua em protesto (ver aqui)

A 28 de setembro de 2020 "milícias" de Perelhal vigiam bouças depois de REN ter enviado cartas a dizer que ia entrar nos terrenos para abater árvores no local de passagem da linha (ver aqui).

A 8 de outubro uma providência cautelar obriga Governo e APA a travar avanço da Muito Alta Tensão em Perelhal (ver aqui).

No dia 16 de dezembro é tornado público diversos atos de vandalismo nas torres em construção de Muito Alta Tensão (ver aqui).

 

 

 

 


Também pode gostar