×
D-IMO-BANNER.jpg

Esposende: «CDS-PP está pronto para ser alternativa ao PSD», afirma Rui Silva

Redação - 3 de abril, 2021

O CDS-PP de Esposende elegeu Rui Silva como novo liderar da concelhia, tendo como missão principal «agregar, unir e reforçar» os centristas daquela região do Cávado.

«Será uma comissão política mais aberta à sociedade civil, que contará, para além dos militantes, com muitos simpatizantes de outros quadrantes políticos, alguns descontentes e desiludidos, outros desligados da política pelo desencanto de apenas serem lembrados na altura do período eleitoral, apostando esta nova comissão política na inversão da insatisfação dos cidadãos e da sua falta de confiança nas instituições e sobretudo nos partidos», começou por referir Rui Silva na hora dos discursos.

Natural de Fonte Boa, Rui Silva promete tornar o partido próximo das pessoas, destinado a «encontrar soluções para resolver com proximidade os problemas da população e investir onde realmente as pessoas sintam que o dinheiro público, o dinheiro de todos, é bem aplicado, na melhoria das condições de vida dos residentes e no progresso do concelho».



«Vamos trabalhar incessantemente para apresentar candidatura do CDS-PP a todas as freguesias, não abandonando a possibilidade de se poder apoiar alguma candidatura independente a alguma freguesia, desde que entendamos ser uma candidatura agregadora de valores e ideias válidas para a freguesia e para o concelho», desvenda, mostrando já parte da estratégia política para as autárquicas.

«O CDS-PP apresentará uma candidatura forte, coesa e credível, com muita juventude, à câmara municipal e à assembleia municipal», aponta, no entanto sem revelar se vai ser o candidato.

«Queremos criar condições para melhorar o concelho e apresentar uma nova forma de gestão que dê corpo aos reais interesses dos esposendenses, que tenha mais a ver com o espírito de missão, em prejuízo do grupo de interesses instalados, pretendendo estar mais ao serviço da comunidade, com frontalidade, transparência e trabalho ao serviço das pessoas», destacou, afirmando que o CDS-PP está pronto para ser alternativa ao atual executivo do PSD.

«Pois queremos fazer a aproximação do município aos cidadãos e alterar na forma o tipo de gestão que está em curso. Há muito para fazer em prol das pessoas do concelho e o CDS-PP vai apresentar pessoas com qualidade comprovada, idoneidade reconhecida e será sempre uma candidatura inclusiva», frisou, criticando a gestão do PSD que considerou ser «esgotada e fechada em resultados eleitoralistas, de sucessivas maiorias, que não deixam dúvidas – provocam uma navegação à vista e em proveito próprio só para se manterem no poder – fortalecendo um populismo fácil, incoerente, inquisidor, furtivo e controlador».

«Também por isto o CDS PP quer ser a alternativa que faltou nos últimos 10 anos em Esposende», vincou.

Rui Silva pretende «mais economia» e um serviço público «mais proactivo e eficaz», dando a título de exemplo grupo municipal - Câmara e as Empresas Municipais - que diz ser «o maior entidade empregadora do concelho, ora isto só acontece em concelhos muito enfraquecidos o ponto de vista económico, ou concelhos do interior transmontano e no alto Alentejo».

«Por sua vez, a grande maioria dos jovens qualificados têm de rumar para fora do concelho para arranjar trabalho, muitos emigraram porque o nosso concelho não lhes permite criar perspetivas de futuro, nem cria condições de forma a fixarem a sua residência na sua terra. Era importantíssimo que o concelho conseguisse criar horizontes temporais para colmatar este problema», disse, prometendo mesmo um programa eleitoral para cumprir.

«Um programa eleitoral com ideias concretas, não da forma como o PSD tem feito, apenas eleitoralista e para lançar uma espécie de caos no concelho com obras e estudos em cima das eleições, nós não nos sentimos capacitados e mandatados para enganar as pessoas. Todas as medidas que colocarmos no programa eleitoral serão para cumprir», reforçou, dando o rumo do equilíbrio caso venham a ser poder.

«Vamos lutar pelo equilíbrio e equidade nos investimentos, com mais descentralização das atividades económicas, desportivas e culturais nas freguesias. Pretendemos um concelho igual para todos e com as mesmas condições para todos. Queremos desenvolver protocolos de apoio às IPPS do concelho para que tenham condições apropriadas de forma a dar um apoio contínuo aos nossos idosos, em especial aos que estão sozinhos e aos que não têm condições financeiras ou capacidade económica para suportar as despesas», apontou Rui Silva.

O CDS-PP também tem como objetivo baixar o preço da água e saneamento.

«E para que esta medida não seja vista como mero ato de propaganda, iremos apresentar um estudo de viabilidade económica», rematou com um "bicada" na gestão de Benjamim Pereira.

«Está esgotada e sem rumo, vergada ao tráfico de influências e dos interesses, está na hora de outros fazerem mais e melhor pelo concelho de Esposende», vaticinou.

  • PARTILHAR