Futebol: Jogo em Esposende pode ser investigado devido a queixas de racismo

AvatarRedação , 17 de fevereiro, 2022

Captura de ecra 2022 02 18 as 01.01.31

O Pevidém, clube de futebol que milita na Liga 3 de Guimarães, denunciou que dois dos seus jogadores foram alvo de “atos racistas” no final do jogo com o SC Braga B, equipa de Esposende.

O resultado final da partida, onde os Guerreiros do Minho terminaram com nove jogadores em campo, foi um empate a um bola aos 91 minutos, mas a  direção do emblema de Guimarães confirmou que os atletas visados foram o lateral direito Luiz Gustavo e o avançado Balotelli, depois de, em comunicado, ter repudiado com “a maior veemência os atos racistas de que foram alvo por parte de alguns adeptos do Sporting de Braga” no final do jogo disputado no Complexo Desportivo de Fão, no concelho de Esposende.

Ainda na nota publicada na sua página oficial na rede social Facebook, o Pevidém alegou que os jogadores, equipa técnica e demais membros da estrutura foram “brindados com insultos e cuspidelas” na entrada para o túnel de acesso aos balneários, com o treinador André Ribeiro a ser “atingido por objetos vindos da bancada”, apesar de na transmissão televisiva, na NEXT, não se ver nada de "anormal".

A direção do 12.º e último classificado da Série A da Liga 3 escreveu ainda que “cerca de uma hora após o término da partida”, o diretor-geral do Pevidém, Fina, foi “agredido por um elemento do ‘staff’ do clube visitado ainda dentro das instalações do Complexo Desportivo de Fão”.

O clube da freguesia de São Jorge de Selho, localmente conhecida como Pevidém, prometeu “aguardar pelos relatórios das entidades competentes e agir em “defesa dos padrões morais” pelos quais se rege, tendo vincado que “tais atos são intoleráveis e devem ser objeto de severa punição”.

Os vimaranenses lamentaram igualmente a “falta de segurança junto do túnel de acesso aos balneários, com o toldo parcialmente aberto” e as “agressões a agentes de futebol” num jogo organizado pelo SC Braga, clube que, a seu ver, tem “uma estrutura altamente profissionalizada” e “ótimas instalações”, devendo “dar o exemplo” enquanto “grande instituição do futebol nacional”.

“Acreditamos que o Sporting Clube de Braga, como grande instituição que é, irá rever os seus planos de segurança e agirá em conformidade com os autores dos atos descritos”, salienta ainda o comunicado.

O SC Braga B, terceiro classificado da Série A da Liga 3, com 30 pontos ao cabo de 19 jornadas, e o Pevidém, 12.º e último, com sete pontos.

 


Também pode gostar