Futebol: UD Vila-Chã denuncia racismo em Martim mas o clube barcelense refuta

AvatarFrancisco Xavier, 5 de dezembro, 2021

UD Vila Cha 1

A União Desportiva de Vila-Chã (UDVC). clube de Esposende que disputa o Pro-Nacional da AF Braga, denunciou hoje em comunicado que um dos seus jogadores foi vítima de racismo no jogo frente ao AFC Martim.

«Na sequência do crime de que foi vítima o nosso jogador Bouba François por parte do jogador Luís André Peixoto durante o jogo AFC Martim-UD Vila Chã, a UDVC comunica que os seus adeptos estão solidários com Bouba Francois. A UDVC repudia e condena veementemente os comportamentos racistas desta tarde por parte do jogador do AFC Martim - Luís André Silva Peixoto , que constituem um dos momentos baixos da história da Divisão Pro-Nacional. A UDVC manter-se-á na linha da frente da luta contra o racismo e os crimes de ódio e a sua equipa mantém a vontade de continuar a combatê-los no campo», lê-se no comunicado.

Ora, este jornal procurou perceber o que se passou. Do lado da UDVC, os dirigentes afirmar que «foi o defesa central do Martim que foi expulso por insultos racistas sobre um jogador do Vila-Chã no final do jogo. Muito feio mesmo».

Já o presidente do clube do AFC Martim, António Fernandes, refuta as acusações e afirmou em declarações ao E24 que «foi uma discussão entre dois jogadores».

«Agora tudo é racismo. Só porque dois jogadores, de cor diferentes, estão a discutir é logo racismo. Se fossem da mesma raça ou tivessem ganho não tinham, de certeza, mandado esse comunicado», afirmou António Fernandes.

Aliás, o presidente do clube barcelense disse mesmo que «racismo foi o que fizeram ao nosso balneário».

«Vandalizaram e destruíram as nossas instalações», apontou, interrogando-se de que «se houvesse crime, estavam lá as autoridades para atuar», disse.


Também pode gostar