×
D-IMO-BANNER.jpg

GNR termina treino do CN Fão após denúncias

Nuno Cerqueira - 24 de janeiro, 2021

A GNR de Esposende pôs fim, hoje, ao treino de canoagem que decorria no Clube Náutico de Fão, associação desportiva amadora do concelho de Esposende.

Vários alunos do clube praticavam canoagem no rio Cávado, mas várias denúncias, muitas partidas de automobilistas que passavam na ponte de Fão e observam um aglomerado de canoístas nas instalações do Náutico de Fão, levaram à intervenção da GNR.

Este jornal contactou a GNR que confirmou as várias denúncias, assim como o expediente que dá conta de uma abordagem dos militares para colocar fim ao treino que, e segundo apurou este jornal, já estava no fim.

Os militares, por inoperacionalidade no momento da Polícia Marítima, autoridade que intervém naquela zona do rio, falaram com os responsáveis e que acabaram por ser obrigados a terminar o treino, recomendando a suspensão da atividade.

Ora, o clube defendeu perante a GNR que a realização do treino se enquadra num regime de exceção.

«O artigo 34 do decreto 3-A/2021, conjugado com os anexos I do mesmo decreto, enquadram e permitem a prática de atividade física e o treino de desportos individuais ao ar livre, durante a vigência do atual estado de emergência», lê-se.

As autoridades não interpretam o treino realizado como «individual» e até a própria Federação Portuguesa de Canoagem recomenda a «não realizam de atividade», como deu conta o presidente da FPC, Vitor Felix (ouvir declarações aqui).

«Esta federação entende que a família da canoagem não deve ficar indiferente à situação dramática que o país atravessa, que diariamente tem dizimado a vida a centenas de pessoas no nosso país. Desta forma apelamos ao sentido de responsabilidade de todos os clubes, atletas e demais agentes da modalidade, sugerindo o encerramento durante os próximos 15 dias, de todos os clubes nacionais», frisa o presidente da FPC.

Para Vitor Felix, a canoagem, enquanto membro ativo e socialmente responsável na comunidade, deve ser chamada ao combate «pois assim, em comunidade, com cada um de nós a assumir a sua responsabilidade, conseguiremos ultrapassar esta difícil situação».

Segundo apurou jornal junto de outros clubes do Cávado, estes mantêm a atividade suspensa, como caso do vizinho de Fão, o Recreativo de Gemeses e Náutico de Prado.

Recorde-se que a FPC suspendeu toda a atividade até fevereiro, incluindo as competições assim como os centros de alto rendimento, mantendo os atletas de alta competição sem treinos.

  • PARTILHAR