Tribunal manda investigar festa ilegal em Esposende envolvendo jogadores do Paços

AvatarRedação  . 

tribunal esposende 1

João Pedro, futebolista do Paços de Ferreira, ficou com termo de identidade e residência e o processo por violar regras de confinamento envolvendo dois outros indivíduos baixou a inquérito para mais diligências, confirmou fonte judicial.

De acordo com a fonte, João Pedro, Sérgio Miguel e Mamadu Gomes, os três detidos no âmbito da operação policial realizada no fim de semana em Ofir, apresentaram-se no Tribunal de Esposende para responderem por um crime de desobediência, mas o processo vai baixar a inquérito.

A procuradora responsável pelo caso determinou a realização de "mais diligências de investigação" à festa ilegal que decorreu numa vivenda alugada para o efeito em Ofir, Esposende, na madrugada de domingo, como avançou este jornal em primeira mão.

Na operação policial que pôs fim a esse convívio ilegal, as autoridades abordaram os cerca de 30 intervenientes e levantaram 25 contraordenações, incluindo a David Sualehe, jogador do Paços também presente e que acompanhava João Pedro, um dos três detidos por reincidência no incumprimento das medidas de contenção da pandemia de covid-19.

Os detidos compareceram no Tribunal de Esposende, onde prestaram declarações.

O Paços de Ferreira FC já fez saber em comunicado que pretende "instaurar um processo disciplinar aos referidos atletas, de acordo com as suas normas internas de funcionamento", aguardando apenas "a decisão [oficial] das medidas a tomar pelas autoridades judiciais".

 


Também pode gostar