Viana: Aliança propõe Bairro das Artes para o centro histórico

AvatarRedação , 15 de setembro, 2021

Alianca Viana

O candidato do Aliança à Câmara de Viana do Castelo propôs hoje um Bairro das Artes para o centro histórico, aliando as sinergias de duas instituições ligadas ao ensino da música à recuperação de património daquela zona da cidade.

Em declarações à agência Lusa, no final de uma ação de campanha na Escola Profissional Artística do Alto Minho (ARTEAM), o cabeça de lista Rui Martins explicou que face, à proximidade daquela instituição com a Zé Pedro Associação Musical, ambas situadas no centro histórico, aquela zona “tem o perfil ideal para ter um Bairro das Artes” dotado de “ateliês de pintura, escultura, entre outras formas artísticas”.

“Pode ser um Bairro de Artes fabuloso com densidade cultural que possa irradiar atividade, permanentemente. Há aqui tanto edifício para ser reabilitado que era facilíssimo criar as condições necessárias”, afirmou o arquiteto, de 67 anos.

A ARTEAM iniciou a sua atividade em 1992, então como Escola Profissional de Música de Viana do Castelo (EPMVC), sob a alçada da Fundação Átrio da Música (FAM), criada em 1999.

Para Rui Martins, a ARTEAM pode ser “um elemento dinâmico na reabilitação da cidade, juntamente com a Zé Pedro Associação Musical, através “da reabilitação de muitos edifícios que estão a cair e com aspeto horroroso”.

No final de uma reunião com a conselho de administração da FAM e com a direção pedagógica da ARTEAM, Rui Martins disse ter ficado com uma “preocupação extrema sobre a relação entre cultura e património”, após visitar “uma escola magnífica, de altíssima qualidade, perfeitamente inserida no centro histórico, que presta serviços à comunidade, mas com dramas terríveis”.

“O que vi na ARTEAM é um edifício magnificamente implantado que está num caos completo”, apontou, referindo-se ao lado poente do edifício, por concluir desde 2000.

A escola começou a ser projetada em 1979 no local onde funcionara um antigo orfanato. O espaço foi cedido em 1993, ainda por concluir, à então EPMVC e à FAM, mas as obras só foram concluídas em 2000, com exceção do auditório.

Em 30 anos de atividade a ARTEAM já formou mais de 400 de alunos nos cursos básico de instrumento (equivalente ao 9.º ano) e de instrumentista de cordas, tecla, instrumentista de sopro e percussão (equivalentes ao 12.º ano).

Para o candidato, “não é possível que as pessoas acordem 20 anos depois a pensar que é preciso concluir uma escola de altíssima qualidade”.

“Não posso acreditar que não haja dinheiro quando se vê a demolição da arena de Viana do Castelo [antiga praça de touros], a única do Alto Minho, para construir um pavilhão gimnodesportivo. Não é necessário. Podia haver a arena e o pavilhão”, destacou.

Rui Martins defendeu “outra atenção sobre o património, que tem de ser reutilizado e reconstruído, para ter conteúdo”.

“Sou o primeiro a aplaudir que se criem grandes objetivos como a Capital Europeia da Cultura em 2027 e a Capital Europeia do Desporto, em 2023, mas isso deve constituir o corolário de um processo, de um trabalho de continuidade”, observou.

Concorrem às eleições do dia 26 Rui Martins pela Aliança, Luís Nobre pelo PS, Eduardo Teixeira pela coligação PSD/CDS-PP, Cláudia Marinho pela CDU, Jorge Teixeira pelo Bloco de Esquerda, Paula Veiga pelo Nós, Cidadãos!, Maurício Antunes da Silva pelo Iniciativa Liberal (IL) e Cristina Miranda pelo Chega.

Nas autárquicas de 2017, o PS conquistou 53,68% dos votos e garantiu seis mandatos, o PSD atingiu os 21,25% (dois mandatos) e a CDU (PCP/PEV) obteve 8,11% (um eleito).

 


Também pode gostar