Viana: Luís Nobre “muito satisfeito” por manter liderança PS em Viana do Castelo

AvatarRedação , 27 de setembro, 2021

Captura de ecra 2021 09 15 as 14.08.34

Luís Nobre manifestou-se hoje “muito satisfeito” por manter a Câmara de Viana do Castelo nas mãos do PS, admitindo que “havia grandes riscos” devido à mudança de liderança na presidência da Câmara da capital do Alto Minho.

“Estou muito satisfeito. Havia grandes riscos devido à mudança de ciclo. A oposição colou-se a essa condição. Fez uma campanha muito concertada, aguerrida no sentido de apontar só as coisas negativas e não o trabalho feito nos últimos 28 anos”, afirmou hoje à agência Lusa Luís Nobre.

O PS mantém-se à frente da Câmara de Viana do Castelo, depois de ter vencido as eleições autárquicas de domingo, mas mudou de presidente devido à lei de limitação de mandatos, segundo dados provisórios do Ministério da Administração Interna.

De acordo com o Ministério da Administração Interna, depois de apurados os resultados das suas 27 freguesias, o PS foi o vencedor em Viana do Castelo, com 45,05% dos votos, seguido do PSD/CDS-PP, com 24,59%, e da CDU (PCP-PEV), com 10,04%.

O BE obteve 4,54% dos votos, o Aliança 3,84%, o Chega 3,45%, a Iniciativa Liberal 1,80% e Nós, Cidadãos! 1,01%.

O socialista José Maria Costa, com 60 anos, não pôde concorrer novamente à presidência por ter atingido o limite de mandatos (três consecutivos), tendo passado o testemunho para Luís Nobre, com 50 anos, que se torna assim o novo presidente da Câmara de Viana do Castelo.

Luís Nobre adiantou que, das oito candidaturas que concorreram às eleições autárquicas de domingo, “a do PS foi a única que quis passar uma mensagem positiva e construtiva”.

“Elaboramos um projeto com os vianenses, sufragado pelos vianenses e o desafio que fica para todos é que os vianenses nos vão ajudar a cumpri-lo. Vamos fazer um excelente mandato porque conto com todos os vianenses que se reveem no nosso projeto e que nos queiram ajudar a concretizar o programa eleitoral que apresentámos para os próximos quatro anos”, afirmou Luís Nobre.

“Dentro de quatro anos poderemos enfrentar os vianenses, olhos nos olhos, ver felicidade nos seus olhos, porque cumprimos com o que nos comprometemos”, reforçou.

O presidente eleito da Câmara Viana do Castelo adiantou que acreditou “sempre” na vitória do PS.

“Percorremos muitos quilómetros no concelho e fomos sentindo o carinho que as pessoas nos iam manifestando. Senti isso nos quatro cantos do concelho”, disse, reconhecendo que tinha estabelecido “objetivos ambiciosos” de “chegar aos seis a sete mandatos”.

“Tínhamos objetivos ambiciosos, mas ganhámos, temos maioria e isso é que interessa”, sustentou.

Contactado pela Lusa, o cabeça de lista do PSD/CDS-PP, Eduardo Teixeira, disse que, apesar de não ter vencido as autárquicas, a “coligação ganha um mandato na Câmara Municipal”.

No atual mandato, o PS tem seis mandatos, o PSD atingiu dois mandatos e a CDU um eleito.

“Na relação direta na Assembleia Municipal o PS perdeu a maioria. Tinha 15 deputados e passa a ter 13. Perde força para o nosso espetro político, nomeadamente a Aliança e o Chega”, referiu Teixeira, acrescentando que a coligação PSD/CDS-PP cresceu 20% no número de mandatos nas freguesias.

Em 2017, disse, “tinha 60 e agora tem 72. Apesar de termos perdido esta eleição, o PS acaba por perder 8,63% da sua representatividade, correspondente a 4.400 votos”.

O candidato da coligação PSD/CDS-PP disse já ter “felicitado o PS, o partido que obteve mais votação”.

Questionado se iria assumir o lugar no executivo municipal, Eduardo Teixeira, manifestou-se disponível para comentar os resultados eleitorais.

 


Também pode gostar