Viana: PS diz que há mais de 750 lotes disponíveis para habitação

AvatarRedação , 15 de setembro, 2021

Captura de ecra 2021 09 15 as 14.08.34

O candidato do PS à Câmara de Viana do Castelo disse hoje estarem disponíveis em todo o concelho cerca de 750 lotes para construção de habitação que responda de “imediato” às necessidades da classe média e dos jovens.

“A resposta tem de ser imediata. Não podemos estar à espera da revisão do Plano Diretor Municipal (PDM). Por muito bem que corra, pode demorar quatro anos”, afirmou Luís Nobre, apontando cerca de 750 lotes disponíveis, entre outras freguesias, em Darque, Areosa e Alvarães, São Romão do Neiva, Deocriste e Vila Franca.

O candidato socialista, que falava à agência Lusa durante uma ação de campanha no bairro do Malhão, em Areosa, disse que naquela freguesia estão disponíveis “22 lotes para construção de habitação para jovens e classe média, quer de casa própria, quer para aluguer”.

Vereador responsável por esta área no atual executivo municipal, Luís Nobre garantiu ser “possível atuar de imediato” para resolver a falta de habitação, “um problema nacional”, aproveitando “a própria dinâmica da sociedade, organizada no movimento cooperativo que, na freguesia de Santa Marta de Portuzelo, tem tido bons resultados”.

O programa “Habitação mais Acessível”, hoje apresentado, “vai permitir concretizar projetos de construção a custos controlados e rendas acessíveis para mais de 400 famílias, em várias freguesias do concelho”.

“O preço da habitação no concelho, tal como no país, atingiu um nível difícil de aceder por parte da classe média e dos jovens. Temos mecanismos facilitadores para fazer a diferença. No máximo, em ano ou um ano e meio garantir habitação às pessoas”, sustentou.

Aquele programa inclui a Estratégia Local de Habitação (ELH), “que, no total, vai resolver as necessidades de mais 2.500 famílias com casas de tipologias até T4”.

Luís Nobre adiantou que “a primeira fase da ELH avançará de imediato, em todo o concelho, com um investimento de praticamente 27 milhões de euros a aplicar até 2026 para beneficiar 700 famílias, através de reabilitação da habitação municipal e outras intervenções”.

“São 18 milhões de euros de iniciativa do município e nove milhões de particulares. Fala-se muito no centro histórico, mas a nossa estratégia de habitação é para o todo o concelho onde as necessidades, sobretudo junto aos parques empresariais, aumentaram fruto da nossa política de desenvolvimento económico”, sustentou.

O programa “Habitação mais acessível” é uma das 48 medidas que o candidato de 50 anos pretende executar “nos 48 meses do próximo mandato”, caso consiga garantir, nas autárquicas do dia 26, a continuidade do ciclo de 28 anos de governação socialista na autarquia da capital de distrito.

Concorrem ainda às eleições do dia 26 Eduardo Teixeira pela coligação PSD/CDS-PP, Cláudia Marinho pela CDU, Jorge Teixeira pelo BE, Rui Martins pelo Aliança, Paula Veiga pelo Nós, Cidadãos!, Maurício Antunes da Silva pelo IL e Cristina Miranda pelo Chega.

Nas autárquicas de 2017, o PS conquistou 53,68% dos votos e garantiu seis mandatos. O PSD atingiu os 21,25% (dois mandatos) e a CDU alcançou 8,11% (um eleito).

 


Também pode gostar