▶️ Viana: Sala do Ouro vestida de "Traje" pronta para der Capital Europeia da Cultura 2027

AvatarNuno Cerqueira, 9 de outubro, 2021

VNC ouro 39

O comissário da candidatura de Viana do Castelo a Capital Europeia da Cultura (CEC) 2027, Gonçalo Vasconcelos e Sousa, realçou ontem que a identidade dos trajes e dou ouro de Viana do Castelo são «um dos eixos fundamentais» da candidatura daquela cidade a CEC.

Em declarações proferidos no âmbito da visita da secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, ao Museu do Traje e do Ouro, ali mesmo no centro da capital etnográfica do Minho, Gonçalo Vasconcelos disse a este jornal que o processo da candidatura está quase concluído.

«Estamos numa fase final e entusiástica do processo, mas prudente, como deve ser uma candidatura onde há outros 11 concorrentes no concurso. Estamos num eixo final do apuramento das ideias de preparação de documentos e iniciativas», destacou o comissário da candidatura. Também o edil de Viana do Castelo, José Maria Costa, e que ontem teve o último ato público no Museu do Traje e dou Ouro, frisou que a renovação do Museu do Traje e do Ouro está integrado no projeto e vontade em Viana receber a Capital Europeia da Cultura.

«Aproveitamos também este momento para lançar o catálogo da Sala do Ouro. Estamos a preparar para época de natal e queremos ter o nosso museu bem apresentado. Toda esta ligação da cultura e património é fundamental e tem que ser continuado para a nossa candidatura a CEC tenha sucesso», apontou José Maria Costa.

A governante Rita Marques fez um visita pelo espaço e ficou deslumbrada com a sala do ouro. A secretária de Estado do Turismo não deixou de recordar a importância do regresso dos espaços à vida presencial.

«É preciso retomar a viagem e redescobrir tudo aquilo que ficou suspenso neste momento pandémico que se viveu. O turismo tem que ter alma e tem que contribuir para as suas gentes e Viana tem sabido fazer isso muito bem. Um motivo de orgulho», apontou, dando nota que o Governo já investiu em apoios no turismo mais de 2,6 mil milhões de euros.

«As empresas têm rosto, famílias. No setor do turismo houve uma mobilização de apoios. Só na retoma, layoff, manutenção de postos de trabalhos no turismo foram mais de 700 milhões de euros. Mas quero dar uma palavra de alento aos privados. Estamos a virar a página e esperamos ter 2022 mais tranquilo e com saúde», disse Rita Marques.


Também pode gostar